23.º Congresso Nacional de Medicina Interna

Entre os dias 25 e 28 de maio realiza-se, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, o 23.º Congresso Nacional de Medicina Interna, presidido por João Araújo Correia, diretor do Serviço de Medicina 1 do Hospital Geral de Santo António/Centro Hospitalar do Porto. Em declarações à Just News, afirma que, além de ser um desafio, a organização de um congresso desta dimensão é “apaixonante”.


Comissão Organizadora do CNMI 2017:
Sara Rocha, Carlos Fernandes, Olga Gonçalves (secretária-geral), João Neves (tesoureiro), Margarida França, João Araújo Correia (presidente), Júlio R. Oliveira, Rute Ferreira, Vasco Barreto, Raquel Calisto, Helena Sarmento.

De acordo com João Araújo Correia, uma das “linhas de força” da edição deste ano será o reforço da ligação entre a Medicina Interna e a Medicina Geral e Familiar. O internista sublinha que “os doentes da Medicina Interna são os mesmos da Medicina Geral e Familiar, embora os internistas e os especialistas em MGF os vejam em alturas diferentes da doença”.



Promover "o diálogo entre o internista e o médico de família"

“Se não conseguirmos fazer com que o doente, depois de sair do hospital, seja bem acompanhado e haja diálogo entre o internista e o médico de família, não vamos avançar na Medicina em Portugal”, afirma o diretor do Serviço de Medicina do Hospital de Santo António - Centro Hospitalar e Universitário do Porto (CHUP), frisando que “esta é uma fragilidade do Sistema Nacional de Saúde”.


João Araújo Correia com João Neves (tesoureiro) e Olga Gonçalves (secretária-geral) no final do Congresso de Medicina Interna do ano passado.

Para mais informações sobre o Congresso: http://www.23cnmi.org/


Para conhecer um pouco melhor o presidente do XXIII Congresso Nacional de Medicina Interna, pode ser lido aqui um excerto de uma entrevista de fundo, publicada pela LIVE Medicina Interna.

Imprimir