Opinião

Como escrever um artigo que seja aceite para publicação

Helena Donato

Diretora do Serviço de Documentação do CHUC. Consultora Técnica da revista Medicina Interna.

A mesa-redonda organizada ontem (durante o 23.º Congresso Nacional de Medicina Interna) pela revista Medicina Interna, publicação científica da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, não foi sobre como fazer ciência, mas sim sobre como traduzir a ciência num artigo publicável.

O objetivo é ajudar a escrever um artigo científico irrecusável, mostrando todos os passos até à sua publicação. O número e a qualidade de artigos publicados são importantes, são fatores relevantes que podem decidir uma carreira. A autoria de publicações peer reviewed é uma métrica de sucesso.

Publicar tornou-se quase obrigatório em Medicina, “Publish or Perish” - todos nós já ouvimos ou lemos estas palavras. Aprender a estruturar um artigo, submeter e rever um artigo são competências que desde cedo devem ser desenvolvidas. Dedicando um curso à escrita científica, acreditamos sinceramente que a revista poderá publicar artigos de maior qualidade e atrairá mais autores.

Aprender a estruturar um artigo, submeter e rever um artigo são competências que devem ser desenvolvidas, pois, escrever é uma competência, não é um talento, pode ser aprendido. Muitos autores reconhecem que a parte mais difícil da escrita científica é começar. Começar é normalmente o maior obstáculo. Quando começam, têm de encarar a tirania da página em branco, que é a maior causa de procrastinação.



Na escrita científica, a estrutura organizacional sólida é a chave para uma comunicação clara, precisa e lógica. A organização é a chave da escrita produtiva. Preparar um artigo científico não é o mesmo que escrever um romance: não é um exercício de escrita criativa.

A boa escrita científica é um processo que envolve pensar, planear e reescrever.

O resultado é um documento claro, conciso, correto, completo, convincente e bem organizado. Um bom artigo científico deve: ser escrito com clareza, precisão, fluência e economia; ter boa qualidade de apresentação; ter boa organização.



Recorde-se que a revista Medicina Interna havia já organizado um simpósio, que contou com um elevado número de participantes, no 21.º Congresso Nacional de Medicina Interna, em 2015, sobre revisão científica (peer review).

Aproveito para lembrar que decorrerá no dia 15 de julho, na sede da SPMI, um Curso, das 9h30 às 17h00, com o título “Da Pesquisa Bibliográfica à Publicação do Artigo”.



Artigo publicado na edição de 28 de maio do Jornal do 23.º Congresso Nacional de Medicina Interna.

Imprimir