Opinião

2.º Curso de Hematologia em MGF no Centro Hospitalar do Porto

Ana Rita de Sousa Matos

Interna do 3.º ano da USF S. Bento.

Após o sucesso da primeira edição do Curso de Hematologia em MGF, e face às necessidades formativas nesta área de especialidade, com vista a dar resposta às dúvidas que surgem habitualmente na prática clínica do Médico de Família, decorreu, no passado dia 29 de outubro, o 2.º Curso de Hematologia em MGF, realizado no Auditório Professor Alexandre Moreira, no Centro Hospitalar do Porto.

De novo a comissão organizadora entendeu que era imperativa a preparação de um curso que, em clima de abertura e diálogo, estreitasse a colaboração entre médicos do hospital e médicos família, com vista a uma melhor prestação de cuidados.

Nesse sentido, foi dirigido o convite à participação do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) de Gondomar e ACeS Maia Valongo, tendo estado presente na cerimónia de abertura do curso, a Dr.ª Catarina Guimarães, médica de saúde pública no ACeS de Gondomar e o Dr. Gustavo Ferreira, Presidente do Conselho Clínico do ACeS Maia-Valongo.

O curso contou com 80 formandos e decorreu num clima de diálogo permanente entre formandos e formadores, permitindo uma participação espontânea orientada e cuidada por todos. Esta iniciativa só foi possível graças ao envolvimento do Fórum Hematológico do Norte que contou o apoio da Shire Phamaceuticals Portugal.

O cattering ficou a cargo da Escola de Turismo e Hotelaria da Santa Casa da Misericórdia do Porto, entidade que promove a integração de pessoas com necessidades especiais em cursos formativos de restauração e cozinha, atribuindo, assim, um carácter solidário a esta iniciativa.

Como formadores estiveram com o Dr. Jorge Coutinho, hematologista clínico e diretor de serviço de Hematologia Clínica do Centro Hospitalar do Porto (CHP) e do Centro Hospitalar São João, o Dr. Joaquim Andrade e Dr.ª Fátima Ferreira, hematologistas clínicos e a Dr.ª Maria José Teles, patologista clinica. Ainda contámos com a Dr.ª Eugénia Cruz, hematologista clínica e a Dr.ª Rita Oliveira, interna de hematologia clínica, ambas do CHP.

A Dr.ª Olga Oliveira, especialista de MGF na USF Pedras Rubras e a Dr.ª Rita Matos, médica interna de MGF na USF S. Bento (ACeS Gondomar) tomaram a seu cargo a organização de todo o material científico e logístico necessário, com vista ao sucesso da segunda edição do Curso, ao longo de um ano de trabalho.



Discutiram-se temas pertinentes ao nível dos cuidados de saúde primários, entre os quais a Abordagem ao Doente Hipocoagulado, alertando para situações especiais como a Grávida, o Idoso e o Doente Oncológico e as Alterações Hematológicas da Grávida e na Infância, com especial enfoque nas alterações do hemograma, nomeadamente, as alterações fisiológicas que como médicos de família podemos esperar e que não devem ser motivo de preocupação.

Foram ainda abordadas as Hemoglobinopatias na Gravidez, salientando o papel do médico de família no rastreio daquela que é das alterações genéticas mais frequentes no mundo.

Foi entregue, no início do curso, a todos os formandos uma pen drive com todas as apresentações científicas do dia de trabalho. Houve ainda uma sessão dedicada à discussão dos posters submetidos a apreciação pelos formandos, relacionados com os temas abordados. Estes foram apresentados pelo autor e permitiram, a sistematização de conhecimentos a interação com os participantes. No final, realizou-se um teste de avaliação de conhecimentos.

Serão também disponibilizados os conteúdos da sessão e vários materiais, periodicamente no site http://hematologia.healtho2.pt/, para complementar a formação que se pretende seja continuada. E, por esse motivo, durante o ano de 2017, em data ainda a anunciar, será realizado o 3.º Curso de Hematologia em MGF.

Deste 2.º Curso surgiu ainda a proposta concreta que partiu dos vários intervenientes de organização de um grupo de trabalho, que vai formalizar protocolos de articulação entre Centros Hospitalares e os Agrupamentos de Centro de Saúde, ao nível dos Cuidados de Saúde Primários, permitindo ganhos em saúde e uma melhor gestão dos recursos.

Imprimir