A saúde mental e a delinquência juvenil vão estar em discussão num congresso internacional, que se realiza no Porto

Os desafios que se colocam à Psiquiatria e Psicologia Forense no âmbito da intervenção terapêutica junto da população jovem delinquente vão estar em discussão no 5º Congresso Internacional da EFCAP - European Association for Forensic Child and Adolescent Psychiatry, Psychology and other involved Professions, que vai decorrer na Faculdade de Medicina do Porto, nos próximos dias 11, 12 e 13 de maio.


Organizada em conjunto pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (UC) e pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a iniciativa reúne reputados especialistas do mundo, desde a Austrália e América Latina até aos EUA e Japão, que trabalham quer com jovens agressores quer com jovens vítimas.

Ao longo dos três dias do congresso, dividido por sete grandes temas, entre os quais avaliação e tratamento de jovens agressores, gestão da agressão em crianças e adolescentes e processos neurobiológicos em jovens antissociais, vão ser apresentados 250 trabalhos científicos.

Tendo em conta toda a complexidade que envolve a delinquência juvenil, o congresso pretende "criar pontes entre os vários profissionais que trabalham com esta problemática e os decisores políticos, no sentido de se encontrar uma resposta única para esta área da justiça juvenil", afirmam Daniel Rijo, Nélio Brazão e Ricardo Barroso, responsáveis pela organização.

"É necessário apostar em novos modelos de intervenção na reabilitação de agressores juvenis e em novos programas de proteção de jovens vítimas de crime", defendem os especialistas em Psicologia Forense da UC e da UTAD.

Acrescentam os responsáveis que "vários estudos mostram que a prevalência de perturbações mentais nesta população é muito elevada, o que significa que não basta atuar nos problemas de comportamento. É essencial implementar políticas de intervenção em Saúde Mental no Sistema de Justiça Juvenil".

Dos especialistas que vão estar presentes no Porto, destaque para Ton Liefaard, gestor da Cátedra UNICEF em Direitos da Criança da Universidade de Leiden, e Essi Viding, especialista em Psicopatia e Genética da University College London. O programa integral está disponível em: www.efcap2016.com.

Imprimir