Asma: SPAIC prepara jovens imunoalergologistas para «situações mais difíceis»

A asma foi o tema central da primeira sessão do Physalis Challenge, o evento que reuniu, durante dois dias, jovens imunoalergologistas em Melgaço.

A escolha do tema teve por base o facto de esta ser uma das patologias mais frequentes da especialidade, à qual os médicos da área dedicam “grande parte do seu dia-a-dia”, como salientou à Just News Ana Morête, da Direção da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), uma das responsáveis pelo encontro, realizado em parceria com o laboratório A. Menarini Portugal.



Adquirir uma "visão global" da doença

Para a especialista, esta é uma forma de os internos terem, desde o início, “uma noção e uma visão global de uma doença essencial na sua prática clínica e que, “quando não é devidamente tratada, tem um grande impacto na vida dos doentes, limitando fortemente a sua atividade profissional, escolar e social”.


Magna Correia, João Fonseca (vice-presidente da SPAIC) e Ana Morête.

"Preparados para fazer face a situações mais difíceis"

Quanto aos "patient-reported outcomes", o enfoque esteve na explicação do processo de tradução e adaptação para Português deste tipo de questionários, bem como na capacitação e demonstração de como e quando é necessária a sua aplicação.



“O objetivo é ter em conta a qualidade de vida e o controlo da patologia, de modo a que os internos possam estar preparados para fazer face a situações mais difíceis no dia-a-dia da sua prática clínica”, observou.

De acordo com Ana Morête, o balanço do Physallis Challenge é “extremamente positivo”. Mencionou ainda que foi “um modo excecional de dar as boas vindas aos recém-chegados internos do 1.º ano de Imunoalergologia e de todos os participantes terem a oportunidade, numa vivência comum, de se darem a conhecer uns aos outros, criando laços que consideramos essenciais para o sucesso destas iniciativas.”



Novo formato do Physallis com mais envolvimento dos internos

A médica realçou ainda que, este ano, o conceito de organização do evento foi diferente. “Acrescentou-se a palavra Challenge no nome da reunião, porque desafiámos os internos a envolverem-se diretamente no programa científico. Os conteúdos são da responsabilidade dos internos dos últimos anos da especialidade”, referiu.

O projeto Physalis passa também a ter 2 módulos por ano, cada um deles com um tema clínico e um tema não clínico, estando já a próxima sessão agendada para os dias 18 e 19 de novembro.



Outra novidade passa a ser a inclusão de um orador internacional por módulo, já que “os inputs do exterior são uma mais-valia na formação”, salienta Ana Morête.

Neste primeiro módulo que decorreu em maio o orador convidado foi Enrico Heffler, um dos ex-presidentes (2011-2013) dos Junior Members & Affiliates - JMA, o grupo de jovens imunoalergologistas que integra a European Academy of Allergy and Clinical Immunology (EAACI). Este especialista integra atualmente a direção da Secção de Asma da EAACI.



Encontro "permite criar laços"

Outra das organizadoras do evento foi Magna Correia, coordenadora do Grupo de Jovens Imunoalergologistas Portugueses da SPAIC. Para esta responsável, “a criação de uma rede de contactos, a possibilidade de troca e partilha de experiências ou, inclusivamente, um contacto prévio para estabelecimento de parcerias futuras ou agendamento de estágios são outras mais-valias”.

Magna Correia referiu ainda que “este encontro e a vivência comum que ele possibilita, permite criar laços, dentro da especialidade, que consideramos essenciais para o sucesso destas iniciativas”.


Imprimir