Bastonário adianta que Ordem dos Médicos vai tornar-se mais operacional, organizada, transparente e democrática

José Manuel Silva foi reeleito bastonário da Ordem dos Médicos (OM) para o triénio 2014/2016. Entre os principais objetivos para os próximos três anos, o responsável refere que pretende suscitar um debate sobre o financiamento e contratualização na Saúde e outro sobre a proletarização da Medicina e consequências negativas para profissionais e doentes, condicionando a acessibilidade aos cuidados de saúde dos doentes mais desfavorecidos. É também sua intenção debater com o Governo a acessibilidade dos doentes aos cuidados de saúde com qualidade e ver aprovados os estatutos da OM.

Em entrevista publicada no Jornal Médico, José Manuel Silva fala sobre as principais prioridades do novo mandato: "Um dos principais objetivos é completar o processo de revisão dos estatutos que se iniciou neste triénio. Já entregámos ao Governo, em fevereiro último, um projeto de revisão dos estatutos e regulamentos na OM aprovado pelo Conselho Nacional Executivo, de acordo com a Lei quadro das associações profissionais. Desde então, estamos a aguardar que se inicie o processo de diálogo com o Governo para depois o projeto ser enviado para a Assembleia da República. Certamente haverá depois um período de discussão e a sua aprovação definitiva."

Sobre as mudanças na orgânica da OM José Manuel Silva assegura: "A orgânica alterar-se-á para melhor. A Ordem vai tornar-se mais operacional, organizada, transparente e democrática."

Ao longo de duas dezenas de questões o Bastonário fala das suas expectativas para este mandato e aborda diversos temas atuais, como a desigualdade no que respeita a cuidados de saúde no País, a contratualização com as USF, a lei de prescrição por DCI, o acesso a medicação inovadora, o número de médicos em Portugal.

A entrevista pode ser lida na íntegra AQUI.

Imprimir



Siga-nos no Instagram