Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas visita projeto de saúde oral «verdadeiramente inovador»

O bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro da Silva, visita amanhã, quarta-feira, a Unidade de Saúde da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no Bairro da Liberdade, em Campolide.

Esta unidade, a funcionar desde julho do ano passado, inaugurou este ano, em fevereiro, o Serviço de Estomatologia, que conta já com cerca de 400 utentes e realizou aproximadamente 1.100 consultas. A unidade de saúde conta com o apoio de 12 profissionais, entre eles 2 médicos dentistas e 1 higienista oral. As consultas, tal como em todas as especialidades nesta unidade, são completamente gratuitas.

André Brandão de Almeida, médico dentista desta unidade da Santa Casa, explica que, "materializando a missão da Misericórdia de Lisboa, esta unidade de saúde desenvolve a sua atividade numa lógica de proximidade assegurando, à população alvo, os cuidados de saúde essenciais e adequados para uma melhoria do estado global de saúde".

O especialista faz questão de sublinhar que "a saúde oral, aqui, não fica ´de fora`" e acrescenta:

"O serviço de estomatologia é de um valor extraordinário para os nossos utentes, mas também se pode afirmar como um exemplo para que outros organismos, nomeadamente o estado, possam ´beber` da nossa experiência e cumprir um pilar fundamental do nosso serviço nacional de saúde, a universalidade, gratuitidade e equidade no seu acesso, de onde a saúde oral tem sido excluída."

A saúde oral "tem sido descurada no SNS"

A Unidade de Saúde da Liberdade nasceu num dos bairros mais problemáticos de Lisboa, num espaço cedido pelo Centro Social Paroquial de São Vicente de Paulo para atender uma população onde predominam idosos e desempregados com carências socioeconómicas graves.

O bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, considera que “este serviço é verdadeiramente inovador e sobretudo essencial" e recorda que a saúde oral, apesar de parte integrante da saúde em geral, "tem sido descurada no Serviço Nacional de Saúde, com graves danos para os portugueses, sobretudo para os mais carenciados. É a população mais pobre que está privada do acesso a consultas de medicina dentária."

Orlando Monteiro da Silva afirma que os problemas de saúde oral "agravam doenças como a diabetes e problemas cardiovasculares, que são, infelizmente, demasiado comuns entre os nossos idosos. É por isso de louvar iniciativas como esta da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que garantem tratamentos orais que de outra forma não seriam feitos."

Integrado na freguesia de Campolide, o Bairro da Liberdade, onde funciona esta nova unidade, tem uma população de aproximadamente 7.500 pessoas, muitas delas indocumentadas, além de famílias carenciadas e em risco.

Para além do serviço de estomatologia, a unidade da Liberdade disponibiliza cuidados em Planeamento Familiar, Saúde Materna, infantil e juvenil, do adolescente, do adulto e do idoso, bem como serviços de fisioterapia assegurados pelo Centro Paroquial de São Vicente de Paulo. 

Imprimir