Cibersegurança nos hospitais: «É preciso reforçar os instrumentos de proteção de dados»

A utilização dos meios tecnológicos na Saúde tem, de acordo com Alexandre Lourenço, presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), um “potencial enorme” para a melhoria da prestação de cuidados de saúde. Mas existem alguns riscos inerentes. O tema será abordado em mais uma sessão da iniciativa da APAH “Caminho dos Hospitais”, que terá lugar no IPO de Coimbra, na próxima segunda-feira.

Em declarações à Just News, o presidente da APAH realça que os meios tecnológicos permitem facilitar o acesso a informação de saúde aos cidadãos e profissionais de saúde. No entanto, “é preciso reforçar os instrumentos de proteção de dados e segurança informática na Saúde”, não só nos hospitais, mas em todo o sistema de saúde.


À semelhança das Conferências de Valor, Caminho dos Hospitais é um dos vários projetos que têm sido dinamizados pela equipa da APAH

Segundo Alexandre Lourenço, este tema assume particular relevância numa altura em que tem sido crescente o número de incidentes de segurança no Serviço Nacional de Saúde.

Conforme refere, “existe muitas vezes a ideia de que estas questões dizem respeito unicamente aos informáticos, mas esta é uma área que merece ser liderada pela gestão hospitalar”.

A sessão, intitulada “Os desafios da Cibersegurança na Saúde em Portugal”, decorrerá pelas 11.00h no Auditório do IPO de Coimbra, e será moderada por Helena Reis Marques, administradora hospitalar.



Carla Barbosa, advogada e investigadora associada do Centro de Direito Biomédico da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, será uma das oradoras convidadas.

Serão igualmente palestrantes Henrique Martins, presidente do Conselho de Administração dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), Pedro Couceiro, diretor do Serviço de Gestão dos Sistemas de Informação (SGSI) do IPO de Coimbra, e Teresa Magalhães, docente da Escola Nacional de Saúde Pública e administradora do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), que coordena neste momento um grupo de trabalho da APAH para a gestão da informação em Saúde.



Além de sensibilizar para a temática, Alexandre Lourenço espera que desta 10.ª edição do Caminho dos Hospitais surjam propostas concretas nesta matéria, em linha com o trabalho que está a ser desenvolvido pelo grupo de trabalho da APAH para a gestão da informação em Saúde.

“É sempre muito positivo o contacto entre a APAH, os Conselhos de Administração e os administradores hospitalares na identificação de problemas que atualmente a gestão hospitalar atravessa. A iniciativa ‘Caminho dos Hospitais’ tem sido muito útil e tem-nos permitido ter um conhecimento mais prático e do terreno que de outra forma não poderia existir”, acrescenta.


Enquanto presidente do Conselho de Administração do IPO de Coimbra, Carlos Santos será o anfitrião do evento.

Formação sobre cibersegurança na Saúde

Alexandre Lourenço sublinha que a questão da cibersegurança na Saúde é uma matéria atual quer em termos regulamentares, quer no que respeita a instrumentos tecnológicos e, por isso, "os hospitais vão ser obrigados a considerá-la no presente e no futuro".

Nesse sentido, no âmbito da sua Academia, a APAH programou para 2018 alguns cursos nesta área, em parceria com o Centro de Direito Biomédico da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, a Escola Nacional de Saúde Pública e a SPMS.

Imprimir