My Servier

Cirurgias em direto marcaram 12.as Jornadas de ORL do Garcia de Orta

“O trabalho do dia-a-dia não deve impedir os otorrinolaringologistas de estarem presentes em formações”, segundo Luís Antunes, diretor do Serviço de Otorrinolaringologia (ORL) do Hospital Garcia de Orta (HGO). O especialista falou à margem das 12.as Jornadas de ORL do HGO sobre “Otologia: do pavilhão à cóclea”. No evento, realizaram-se cirurgias em direto e homenageou-se Manuel Rodrigues e Rodrigues, já reformado, mas que ainda é considerado um exemplo na especialidade.

“A formação contínua é essencial para qualquer especialista e destaco a importância de se conhecerem os últimos avanços nas técnicas cirúrgicas que permitem tratar problemas de surdez”, afirmou Luís Antunes. O responsável do Serviço de ORL do HGO convidou Robert Vincent, do Hospital de Saint Patrick, no Missoula, Canadá, que é especializado na colocação de novas próteses no ouvido.

No entender de Luís Antunes, “o trabalho do dia-a-dia não deve impedir os otorrinolaringologistas de estarem presentes em formações deste tipo, que lhes permitem atualizar conhecimentos e esclarecer dúvidas”. As jornadas são uma forma de “melhorar a prestação dos cuidados de saúde aos doentes e não devem ser colocadas em segundo plano”.

Como a formação não deve ser só teoria, foram transmitidas cirurgias em direto. “É uma forma de se poder colocar questões bem concretas que possam surgir, além de que é sempre diferente ver o que se faz na prática do que ficar apenas pela teoria”, realçou Luís Antunes.

Na sessão de abertura das jornadas, houve ainda um momento para homenagear Manuel Rodrigues e Rodrigues. “Foi um otorrinolaringologista que nos deixou grandes ensinamentos e que merece a nossa homenagem”, disse o diretor do Serviço de ORL do HGO.

Manuel Rodrigues e Rodrigues, reformado, foi diretor do Serviço de ORL da Unidade Local de Saúde de Matosinhos e agradeceu a homenagem, relembrando que quem mais o inspirou na sua carreira foi o seu pai. E deixa um conselho a todos os médicos: “Vejam o doente como tal e não como um utente e uma fonte de receita. É, acima de tudo, alguém que precisa de nós, da nossa compreensão.”

Além de Luís Antunes e de Manuel Rodrigues e Rodrigues, na sessão de abertura também estiveram presentes Hélder Pereira, em representação da Direção Clínica do HGO, Daniel Ferro, presidente do Conselho de Administração do HGO, Joaquim Judas, presidente da Câmara Municipal de Almada, Artur Condé, do Colégio da Especialidade de ORL da Ordem dos Médicos e Carlos Ribeiro, da Sociedade Portuguesa de ORL e Cirurgia Cérvico-Facial (SPORL).




Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda