Cruz Vermelha Portuguesa lança campanha “Mantém a distância”

As estruturas locais da Cruz Vermelha lançam amanhã, sábado, uma campanha de sensibilização rodoviária, intitulada “Mantém a distância”, que procura chamar a atenção para a importância de manter as distâncias de segurança, como forma de prevenir acidentes.

Segundo Luís Barbosa, presidente nacional da Cruz Vermelha Portuguesa “é importante o fomento de uma cultura de condução defensiva e o reconhecimento do mérito do condutor que respeita os limites em detrimento daquele que não cumpre as regras.”

A campanha  será implementada por 120 voluntários da CVP. Estes vão dinamizar simulacros, demonstrações de primeiros socorros, dinâmicas e simulação de situações habituais na condução, bem como as suas potenciais consequências. Estas atividades visam sensibilizar os condutores, em especial os homens, para a condução defensiva e uma adequada avaliação de risco.

Em 2012 morreram 442 condutores (61,56% do total de mortos), sendo que 68,55% conduziam automóveis ligeiros e 91,86% eram do sexo masculino.

A sinistralidade rodoviária é um grave problema de saúde pública e desenvolvimento. Anualmente, morrem, em consequência dos acidentes rodoviários 1,3 milhões de pessoas sendo uma das principais causas de morte na faixa etária 10-45 anos. As Nações Unidas estimam que os custos económicos associados à sinistralidade rodoviária podem representar, em alguns países, 4% do Produto Interno Bruto.

Em Portugal foram implementadas, ao longo dos últimos anos, diversas medidas que permitiram reduzir, numa década, o número de mortos diários nas estradas. No entanto, morrem, em média, duas pessoas por dia nas estradas portuguesas. Em 2012, em consequência dos acidentes rodoviárias, morreram 718 pessoas, 38 105 ficaram feridas, das quais 1 941 em estado grave. Nas estradas portuguesas, em 2013, morreram 519 pessoas e 2001 ficaram feridas com gravidade.


Imprimir