CUF Descobertas aposta no intercâmbio entre dermatologistas lusófonos

Dermatologistas de Portugal, Angola, Cabo Verde e Moçambique estão esta semana reunidos nas Jornadas Luso-Africanas de Dermatologia, que têm lugar no Hospital CUF Descobertas. O objetivo é “melhorar o intercâmbio entre profissionais que falam a mesma língua, nomeadamente através da telemedicina”, segundo Miguel Correia, responsável pelo Serviço de Dermatologia do Hospital CUF Descobertas e membro da Direção da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia.

As jornadas, organizadas pelo Centro de Dermatologia do Hospital CUF Descobertas, também têm como objetivo “criar um embrião da Dermatologia lusófona”, segundo disse à Just News Miguel Correia. O especialista, também responsável pelo evento, refere que a partilha de conhecimento “faz toda a diferença na prática clínica dos países envolvidos e reforça o projeto de telemedicina que a CUF Descobertas já tem com São Tomé e Príncipe”.

E continua: “Este país não tinha a especialidade de Dermatologia, foi necessário enviar médicos portugueses, que treinaram médicos locais.”

Atualmente, “é rara a semana em que não comunicamos via telemedicina, ajudando os colegas a diagnosticar e a tratar várias doenças de pele, um problema comum em África”.

Mas Portugal também aprende com estes contactos permanentes através da telemedicina, que, de acordo com Miguel Correia, devem ser alargados a mais países lusófonos: “Os especialistas portugueses conhecem ainda pouco sobre lepra, tuberculose cutânea ou manifestações de pele muito severas em doentes de sida, sem tratamento, só para dar alguns exemplos.”

A migração também “obriga a este intercâmbio”, já que as realidades locais diferem: “Tratar um doente com albinismo em Portugal não é o mesmo que em países africanos, onde a exposição ao sol é mais intensa.”

Miguel Correia espera que estas jornadas sejam o início de uma caminhada conjunta, “para que se forme um grupo que esteja sempre em contacto, quer através de telemedicina, como de outros meios, para o bem das diferentes populações”.



Na sessão de abertura das jornadas, além de Miguel Correia, também esteve presente Briosa e Gala, que foi conselheiro para África do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e Maria João de Mello, administradora do Hospital CUF Descobertas. Ambos realçaram a importância de se estreitarem os laços entre os países lusófonos, nomeadamente na área da Dermatologia.

Maria João Mello sublinhou ainda o papel do Centro de Dermatologia do Hospital CUF Descobertas neste âmbito, ao organizar o evento e por já estar a estabelecer ligações de telemedicina com São Tomé e Príncipe.




Imprimir