Dia do Transplante é celebrado esta quinta-feira, sob o lema: «Transplantes e gravidez»

Dedicada este ano ao tema "Transplantes e gravidez", a cerimónia do Dia do Transplante, que decorrerá na Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), no Porto, vai contar com palestras de especialistas e testemunhos de doentes e familiares de doentes que, graças ao transplante, puderam realizar o sonho de ter um filho. 

Organizado pela Sociedade Portuguesa de Transplantação (SPT), pelo 9º ano consecutivo, o Dia do Transplante recorda a primeira intervenção do género feita no nosso país - um transplante de rim, realizado no dia 20 de julho de 1969, em Coimbra, pela equipa de Linhares Furtado.

De acordo com Susana Sampaio, presidente da SPT, "o transplante não tem que ser impedimento para a concretização do sonho de engravidar", sublinhando que, pelo contrário, "esta é uma forma de devolver às mulheres que sofrem de insuficiência renal crónica a possibilidade de virem a ser mães".

Adianta a especialista que “é para aumentar o conhecimento sobre este tema que este ano lhe decidimos dedicar o Dia do Transplante".



Susana Sampaio acrescenta ainda alguns dados: “A fertilidade é mais reduzida nas mulheres que sofrem de insuficiência renal crónica - entre 0,3 a 1,5 gravidezes todos os anos, por cada cem mulheres em idade fértil e submetidas a hemodiálise. E ainda que continue a ser inferior ao verificado na população geral (10 gravidezes por cem mulheres/ano), este é um valor que sobe após o transplante (passa para 3,3 por cem mulheres/ano)."

O Dia do Transplante serve ainda outro propósito, o de “chamar a atenção da população, sensibilizando para a importância da transplantação”, para que o número de transplantes em Portugal possa continuar a aumentar.

Imprimir