Encontro de Oncologia debate individualização das terapêuticas e imuno-oncologia

Entre os dias 27 e 29 de março, decorre, em Évora, a 10ª Edição dos Encontros da Primavera, um evento multidisciplinar que junta profissionais de saúde e um vasto conjunto de oradores nacionais e internacionais com vista a debater o conhecimento mais recente em Oncologia.
 
O presidente dos Encontros da Primavera e oncologista, Sérgio Barroso, avança que estarão em debate "duas áreas oncológicas que ganham cada vez mais destaque e expansão, através de investigações expressivas cujos resultados são animadores, e têm o potencial de transformar a forma como os doentes vivem o cancro", acrescentando que “a individualização das terapêuticas, dirigidas à pessoa e ao seu cancro, e a imuno-oncologia são propulsoras de novos paradigmas no tratamento do cancro e permitem aumentar a sobrevida das pessoas com qualidade de vida”.
 
Questões relacionadas com as diferentes possibilidades de tratamento e o acesso a terapêuticas inovadoras vão ser alvo de discussão, com particular enfoque na oncologia no idoso. Neste tema, serão discutidas as características sociais específicas que determinam o acesso ou não acesso de um idoso a um medicamento inovador. Para Sérgio Barroso “a idade biológica é diferente da idade cronológica e a avaliação deve ser feita em função de cada idoso”.
 
Neste evento será também apresentado oficialmente o Grupo de Estudos do Cancro e Trombose que irá expor os dados de um inquérito realizado aos profissionais de saúde portugueses sobre a percepção dos mesmos face ao conhecimento que têm da ligação entre Cancro e Tromboembolismo, que é a 2ª causa de mortalidade mais frequente no doente oncológico.
 
Nesta 10ª Edição, estará também em debate o perfil epidemiológico e as necessidades Oncológicas dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. “Procuramos neste encontro potenciar um ponto de partida para a idealização de projectos de trabalho comuns em países como Angola, Moçambique, Cabo Verde e S. Tomé”, afirma o presidente do encontro.
 
O cancro é a segunda principal causa de morte em Portugal e a primeira no grupo etário entre os 35 e os 64 anos. Prevê-se que as taxas de incidência de cancro podem aumentar cerca de 20%, até 2020.
 
O programa pode ser consultado aqui.

Imprimir