Escola de Diabetes do CHUC ajuda profissionais de saúde a conhecerem melhor esta doença

A "Terapêutica farmacológica na diabetes tipo 2" e a "Nutrição na diabetes tipo 2" são os temas das duas próximas ações de formação organizadas pela Escola de Diabetes do Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC). À semelhança de outros cursos, estas duas sessões, que se realizam no dia 9 de outubro, são dirigidas a profissionais de saúde interessados no tratamento da diabetes.

Na apresentação da sessão dedicada à terapêutica farmacológica, é recordado que o tratamento da diabetes tipo 2 é atualmente "muito mais complexo" e que os novos e diferentes fármacos "que exploram novos mecanismos de ação é uma realidade". Desta forma, é considerado que a escolha do fármaco ou da associação de fármacos adequados a cada doente "é um tema de grande importância na prática clínica", sendo necessário conhecer e discutir "os algoritmos terapêuticos propostos pelas principais sociedades científicas relacionadas com a diabetes".

Quanto à ação de formação sobre o papel da nutrição na diabetes tipo 2, que também se realiza dia 9 de outubro, os objetivos passam por capacitar os participantes para:
- melhorar conhecimentos sobre a alimentação na terapêutica da diabetes tipo 2;
- identificar os erros alimentares e desmistificar mitos associados à alimentação;
- facilitar a adesão da pessoa com diabetes, utilizando estratégias de aconselhamento alimentar individualizadas.



No âmbito da Escola de Diabetes, realizaram-se já três outras ações este ano, em abril e junho, que incidiram sobre os temas: "Pé diabético", "Insulinoterapia na diabetes tipo 2" e "Autocontrolo glicémico na diabetes tipo 2". Os docentes dos cursos que se realizam ao longo do ano são médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e podologistas "com experiência no tratamento da diabetes e em formação profissional", refere a organização.

A Comissão Científica da Escola de Diabetes é constituída por Francisco Carrilho, diretor do SEDM, Margarida Bastos, assistente graduada, Isabel Paiva, assistente graduada, e Leonor Gomes, assistente graduada e regente de Endocrinologia da FMUC.

Em declarações à Just News, publicadas na edição de julho do Jornal Médico dos Cuidados de Saúde Primários, Francisco Carrilho, diretor do Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo (SEDM), recorda que "a diabetes mellitus tem aumentado nos últimos anos e as complicações continuam a surgir, apesar dos fármacos serem cada vez mais eficazes." Na sua opinião, isso deve-se muito ao facto de os doentes "nem sempre fazerem uma boa autogestão da sua doença.” Trata-se de um problema que implica educação para a saúde, mas também mudança de mentalidades, “o que pode levar mais tempo”, acrescenta o responsável, no âmbito de uma reportagem sobre a Unidade Coordenadora Funcional da Diabetes (UCFD) do ACES Baixo Mondego.

Contactos:
Para informações e contactos:
endocdiab@huc.min-saude.pt
tel: 239 400 423
fax: 239 825 879

Imprimir