Especialista da Universidade de Coimbra vence o mais prestigiado prémio mundial na área das Ciências Forenses

Duarte Nuno Vieira, professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (UC), é o vencedor do Prémio Douglas Lucas Medal 2014, o mais relevante e prestigiado prémio mundial no âmbito da Medicina Legal e Ciências Forenses.

Criado em 1999 pela Academia Americana de Ciências Forenses, o Prémio Douglas Lucas Medal é atribuído, apenas de três em três anos, a um especialista forense que se tenha destacado particularmente pela contribuição dada para o desenvolvimento das ciências forenses a nível internacional.

Na atribuição do prémio a Duarte Nuno Vieira, o júri, que deliberou por unanimidade, sublinhou "o valioso trabalho desenvolvido pelo galardoado em diversos domínios das ciências forenses, e muito particularmente no âmbito da Patologia e Clínica Forenses, especialmente na defesa dos Direitos Humanos, bem como na organização de serviços médico-legais e forenses em vários países do mundo, e o forte impacto que o trabalho que concretizou até hoje teve na comunidade forense internacional".

Foi com "enorme surpresa e profunda emoção" que o docente da UC recebeu a notícia de ter sido distinguido "por um júri constituído pelos mais reputados e reconhecidos cientistas forenses internacionais".

"Considero que o mérito não é apenas meu, mas também dos que me acompanharam, e continuam a acompanhar, nesta missão complexa e, em certos contextos, dolorosa. Uma missão que se destina a ajudar aqueles que arrastam consigo os traumas de uma existência marcada pelo infortúnio e pelo sofrimento, por vezes com o cheiro da morte colado ao corpo. Dedico-o a eles e a todos os peritos médico-legais que, às vezes em condições muito difíceis, dão diariamente o melhor que sabem e podem para ajudarem a sociedade e a justiça, não desistindo deste mundo que nos coube. Dedico-o sobretudo à minha família que tem sido elemento incondicional de apoio e compreensão e que tem constituído porto seguro de abrigo", realça Duarte Nuno Vieira.

Entre os galardoados em edições anteriores estão personalidades como o britânico Alec Jeffreys, que descobriu a utilização do ADN para fins forenses, o norte-americano Clyde Snow, "pai" da antropologia forense e da sua aplicação no âmbito dos direitos humanos, ou o suíço Margot, considerado por muitos como a maior autoridade mundial no domínio da criminologia.

Esta distinção, a mais alta que se pode receber no domínio das ciências forenses, vai ser entregue durante o 20th World Meeting of the International Association of Forensic Sciences (IAFS), que decorrerá em Seoul, na Coreia do Sul, no próximo mês de outubro.

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã