Especialista da Universidade de Coimbra vence o mais prestigiado prémio mundial na área das Ciências Forenses

Duarte Nuno Vieira, professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (UC), é o vencedor do Prémio Douglas Lucas Medal 2014, o mais relevante e prestigiado prémio mundial no âmbito da Medicina Legal e Ciências Forenses.

Criado em 1999 pela Academia Americana de Ciências Forenses, o Prémio Douglas Lucas Medal é atribuído, apenas de três em três anos, a um especialista forense que se tenha destacado particularmente pela contribuição dada para o desenvolvimento das ciências forenses a nível internacional.

Na atribuição do prémio a Duarte Nuno Vieira, o júri, que deliberou por unanimidade, sublinhou "o valioso trabalho desenvolvido pelo galardoado em diversos domínios das ciências forenses, e muito particularmente no âmbito da Patologia e Clínica Forenses, especialmente na defesa dos Direitos Humanos, bem como na organização de serviços médico-legais e forenses em vários países do mundo, e o forte impacto que o trabalho que concretizou até hoje teve na comunidade forense internacional".

Foi com "enorme surpresa e profunda emoção" que o docente da UC recebeu a notícia de ter sido distinguido "por um júri constituído pelos mais reputados e reconhecidos cientistas forenses internacionais".

"Considero que o mérito não é apenas meu, mas também dos que me acompanharam, e continuam a acompanhar, nesta missão complexa e, em certos contextos, dolorosa. Uma missão que se destina a ajudar aqueles que arrastam consigo os traumas de uma existência marcada pelo infortúnio e pelo sofrimento, por vezes com o cheiro da morte colado ao corpo. Dedico-o a eles e a todos os peritos médico-legais que, às vezes em condições muito difíceis, dão diariamente o melhor que sabem e podem para ajudarem a sociedade e a justiça, não desistindo deste mundo que nos coube. Dedico-o sobretudo à minha família que tem sido elemento incondicional de apoio e compreensão e que tem constituído porto seguro de abrigo", realça Duarte Nuno Vieira.

Entre os galardoados em edições anteriores estão personalidades como o britânico Alec Jeffreys, que descobriu a utilização do ADN para fins forenses, o norte-americano Clyde Snow, "pai" da antropologia forense e da sua aplicação no âmbito dos direitos humanos, ou o suíço Margot, considerado por muitos como a maior autoridade mundial no domínio da criminologia.

Esta distinção, a mais alta que se pode receber no domínio das ciências forenses, vai ser entregue durante o 20th World Meeting of the International Association of Forensic Sciences (IAFS), que decorrerá em Seoul, na Coreia do Sul, no próximo mês de outubro.

Imprimir



Siga-nos no Instagram