Exposição «Cancro ponto e vírgula» na Fundação Calouste Gulbenkian

Dia 26 de janeiro terá lugar, às 11 horas, na Fundação Calouste Gulbenkian, a inauguração oficial de uma exposição interativa intitulada: "Cancro ponto e vírgula". Até dia 30 de janeiro, o público em geral, "e a comunidade escolar em particular", é convidado a colocar questões, "a pôr em causa ideias feitas e a construir soluções para lutar contra o cancro".

Ao longo destes cinco dias está já agendada a visita de 800 alunos de escolas secundárias de todo o País e a iniciativa conta também com a participação de associações de doentes oncológicos.

A exposição pedagógica sobre o cancro, organizada por uma equipa de investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular (Ipatimup), em parceria com o Programa Gulbenkian Inovar em Saúde, aborda seis tipos de cancro: cancro do colo do útero, colón e reto, estômago, mama, pele e cancro da tiroide.

Durante a cerimónia da inauguração, Nuno Azevedo, consultor da exposição "Cancro ponto e vírgula", apresentará o livro que serve de guião e de memória à exposição e que resulta do desafio lançado pela Fundação Calouste Gulbenkian ao Ipatimup. O ministro da Saúde, Paulo Macedo, também visitará a exposição durante a manhã do dia 26 de janeiro.

Enquadramento da exposição:

Na exposição "Cancro ponto e vírgula", as estações dedicadas aos cancros e respetivas lesões pré-cancerosas – pele, colo do útero, mama, colorectal e estômago – aparecem ligadas a estações sobre genética populacional e diversidade genética, assim como à galeria da prevenção e do diagnóstico precoce. E isto não acontece por acaso. Atualmente surgem, por ano, em Portugal, um pouco mais de 50 mil novos casos de cancro e morrem entre 21 a 24 mil doentes vítimas de doença cancerosa.

A tendência é para a incidência aumentar substancialmente nas próximas décadas: um em cada dois portugueses irá ter pelo menos um cancro ao longo da vida, mas tal não significa maior número de vítimas, pois há uma solução! É possível controlar a mortalidade através sobretudo do diagnóstico dos cancros e das lesões pré-cancerosas! É também disso que esta exposição nos fala.

O objectivo fundamental da exposição é aumentar a literacia em relação aos problemas da Saúde e do Cancro e, deste modo, estimular a prevenção e o diagnóstico tão atempado quanto possível. Nesse sentido, para além da exposição, serão também projectados filmes e realizadas sessões de discussão com a audiência sobre os diferentes tipos de cancro e a melhor forma de os prevenir.

Imprimir