Humanização dos hospitais: Ordem do Mérito entregue ao filho do neurologista Fernando Morgado

O Presidente da República entregou, na quarta-feira, a Medalha da Ordem do Mérito ao filho do neurologista Fernando Morgado, fundador da Associação dos Amigos do Hospital de Santa Maria (AAHSM), e que faleceu recentemente.



Uma "vida de doação"

No seu discurso, e dirigindo-se à família de Fernando Morgado, Marcelo Rebelo de Sousa começa por recordar que, quando anunciou, em maio deste ano, durante a celebração dos 20 anos da AAHSM, que o iria condecorar, "estava ainda entre nós, já muito doente, mas estava entre nós".

Salientou o percurso, "quer como dirigente associativo, quer como pioneiro numa obra de voluntariado, não apenas dos amigos do hospital, mas daqueles que permanentemente estão ao serviço de missões daquele hospital".


Marcelo Rebelo de Sousa com Assunção Morgado (viúva de Fernando Morgado), João morgado (filho) e Paula Oliveira (nora). 

Afirmou ainda: "Neste momento, posterior à sua partida, eu cumprimento a sua família de forma muito efusiva e muito grata, transmitindo-lhe com emoção exactamente o mesmo que transmiti aos presentes na cerimónia no hospital de santa maria".

Sublinhou Marcelo Rebelo de Sousa que "não é demais a gratidão devida à sua coragem, à sua pertinência, à sua capacidade de luta, ao seu serviço pelos outros, à sua doação, uma vida de doação. É essa vida de doação que hoje é assinalada".



Além de Fernando Morgado, foram igualmente condecorados o clube desportivo amador Sport Algés e Dafundo, Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Bragança e Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal.

A importância de "pensar-se na humanização dos hospitais"

Em declarações à Just News, e pouco tempo após o falecimento de Fernando Morgado, o presidente da Sociedade Portuguesa de Neurologia destacava uma das características que mais admirava no fundador da AAHSM, "a de perseguir os seus objetivos com convicção e resiliência, vendo nas dificuldades momentos de oportunidade, mesmo enfrentando irreverentemente os poderes constituídos, incluindo no seu/nosso Serviço, relativizando as dificuldades com bonomia e um sorriso sarcástico, encarando-os como desafios que sabia ser capaz de vencer".

Fernando Morgado dedicou a sua carreira à Neurologia e a iniciativas associativas com uma forte orientação humanitária, tendo falecido com 75 anos, "quando muito havia ainda a esperar da sua ´energética`, termo que usava frequentemente em jeito de cumprimento para avaliar do ânimo do seu interlocutor," recorda Vitor Oliveira.

A atual presidente da AAHSM, Maria do Céu Machado, diretora do Departamento de Pediatria do CHLN, enalteceu também, na altura, o humanismo de Fernando Morgado, não hesitando em considerar que “foi uma figura única, ao perceber como era essencial pensar-se na humanização dos hospitais e na mais-valia dos grupos de voluntariado no bem-estar dos doentes".

A responsável observou ainda que o neurologista teve o mérito de criar o AAHSM, mas também de o manter por 20 anos. “O mais difícil é manter uma obra e ele conseguiu-o.”








seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir