Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico: «Um olhar à saúde dos açorianos»

Angra do Heroísmo e Ponta Delgada acolhem, esta quarta e quinta-feira, duas conferências de apresentação dos resultados do Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF) obtidos nos Açores.

A discussão, que vai contar com a intervenção de Fernando Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), envolve representantes de autarquias e outros profissionais das áreas da Saúde e da Educação.

Organizadas pela Secretaria Regional da Saúde e pelo INSA, as conferências realizam-se no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e, no dia seguinte, no Hospital do Divino Espírito Santo.

Nas duas reuniões, que decorrem sob o lema "Um olhar à saúde dos açorianos", estarão presentes vários responsáveis e especialistas. É o caso, nomeadamente, de Carlos Matias Dias, coordenador geral do INSEF e médico especialista em Saúde Pública do INSA, de Rui Luís, secretário-regional da Saúde, ou de Baltazar Nunes, coordenador executivo do INSEF e investigador do INSA.

Nas duas sessões de abertura participam ainda os presidentes dos conselhos de administração do Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira e do Hospital do Divino Espírito Santo, respetivamente, Olga Freitas e Fernando Mesquita.

Contributo do INSEF para "a melhoria da saúde dos portugueses"

Estas duas conferências fazem parte de um conjunto de sessões que têm sido promovidas pelo Instituto Ricardo Jorge em várias regiões do país, após a apresentação, em maio do ano passado, dos resultados gerais do INSEF. Nessa sessão foram apresentados indicadores sobre estado de saúde, determinantes de saúde e fatores de risco e cuidados de saúde da população residente em Portugal em 2015.

Promovido pelo Departamento de Epidemiologia do Instituto, o INSEF visa contribuir para "a melhoria da saúde dos portugueses, apoiando as atividades nacionais e regionais de observação e monitorização do estado de saúde da população, avaliação dos programas de saúde e a investigação em saúde pública".

De acordo com o Instituto, o projeto tem como mais-valia o facto de "conjugar informação colhida por entrevista direta ao indivíduo, sobre o seu estado de saúde, determinantes de saúde e utilização de cuidados de saúde, com uma componente objetiva de exame físico".

Imprimir