Internos do Algarve homenagearam «João Semana» da Dermatologia

João Larguito é um nome que todos os internos da região do Algarve conhecem e não há quem se refira a ele sem ser em tom elogioso. Aos 70 anos, natural de Olhão, o médico dermatologista está prestes a colocar um ponto final na sua carreira no Hospital de Faro, e esse foi motivo mais do que suficiente para os internos da região algarvia se organizarem e prestarem homenagem ao seu “mentor”. Um gesto que deixou o médico de lágrimas nos olhos.

“Esta homenagem comoveu-me, porque toda a gente gosta de ser lembrado, ainda mais se for por bons motivos. Foi uma surpresa que me deixou muito feliz”, reconheceu João Larguito em declarações à Just News.


Joaquim Ramalho, Sofia Rocha, Miguel Guimarães, Ana Sofia Moreira, João Larguito, José Sousa, David Dias, João Dias, Pedro Alves e Teresa Salero.

A homenagem aconteceu no decorrer das V Jornadas do Internato Médico do Algarve (JIMA), onde também participou o presidente do CHAlgarve, Joaquim Ramalho, e o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, e na sua origem está "a dedicação do dermatologista à saúde, aos seus doentes, mas acima de tudo àqueles que consigo quiseram aprender".

“É uma pessoa muito autêntica e que vive para os outros, para os internos. Com ele a pedagogia e o ensino prevalecem sobre todas as outras coisas”, conta Sofia Couto Rocha, presidente das jornadas e uma das internas que lidou de perto com João Larguito e a quem destaca, sobretudo, as qualidades humanas:

“É um autêntico mentor... É um João Semana dos tempos modernos e acredito que não terá substituto à altura”.

O médico é de facto uma figura carismática entre os mais jovens. Mas antes de se estabelecer em Portugal, João Larguito emigrou ainda jovem para África e, durante os 45 anos que passou fora do país, carimbou o passaporte no Brasil, na Austrália e em Macau, onde desempenhou o cargo de diretor de saúde. Regressado a Portugal jurou fidelidade ao Hospital de Faro e foi aí que construiu o seu legado.

"Empenho e dedicação"

“Em tempos foi um serviço que funcionou muito bem, com colegas muito qualificados. Mas foram saindo e acabei por ficar sozinho”, lamenta o médico, que diz ter encontrado novo alento na ânsia de conhecimento dos mais novos.

“A Dermatologia é uma especialidade com a qual não se perde muito tempo no curso de Medicina. Por isso, naturalmente, os internos procuram saber mais no período de internato. E foi isso que aconteceu: os internos foram chegando, gostaram e nunca mais fiquei sozinho”, conta João Larguito. O especialista revela que o segredo para este reconhecimento dos mais jovens é "o empenho e dedicação" com que sempre respondeu aos pedidos que lhe chegaram.

"Como sou o único, vou a todas"



João Larguito faz questão de sublinhar: “Dediquei-me aos doentes e colegas de forma abnegada. Como sou o único, vou a todas, desde a urgência aos doentes internados. Dediquei-me de alma e coração, com empenho total, e julgo que o reflexo disso é este carinho que têm por mim.”

Prestes a passar o testemunho à nova geração, o médico diz-se tranquilo quanto à sua qualidade, garante que está bem preparada e que "apenas necessita de oportunidades para singrar".

"Um ser humano fantástico"

Também presente na homenagem ao médico algarvio, Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, descreveu João Larguito como “um profissional de elevada qualidade e um ser humano fantástico”.

As V Jornadas do Internato Médico do Algarve decorreram na universidade do Algarve, entre os dias 29 de junho e 1 de julho, e foram as mais participadas de sempre, contando com 300 participantes de Norte a Sul do país.




Imprimir