Maria do Céu Machado afirma que vias verdes salvam vidas

A morte por doenças cardiovasculares é ainda significativamente pré-hospitalar”, menciona a Prof.ª Doutora Maria do Céu Machado, diretora clínica do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), desenvolvendo que esta situação deve-se, por um lado, à iliteracia em saúde por parte da população e, por outro, à deficiente organização de cuidados de transporte e chegada às unidades coronárias e de AVC e tempo útil. “Foi este o objetivo estratégico das vias verdes e ganharam-se vidas nas reuniões onde foram implementadas”, indica.

Apesar de não poder estar presente na Cerimónia de Abertura do 4.º Congresso Novas Fronteiras em Cardiologia, tal como estava previsto, Maria do Céu Machado não deixou de - mesmo que através de uma mensagem escrita, lida por Fausto Pinto - felicitar a organização deste evento, que “muito prestigia o Hospital de Santa Maria e a Faculdade de Medicina de Lisboa”.

A diretora clínica do CHLN referiu ainda que as doenças cardiovasculares continuam  a ser uma importante causa de morte súbita e de sequelas, caso não haja uma intervenção adequada e atempada. “Leio o programa deste congresso e percebo que se destina à intervenção intra-hospitalar sofisticada. ‘Novas Fronteiras’ significa, talvez, que são cada vez mais as potencialidades em Cardiologia, nomeadamente a intervenção que mantém uma crescente evolução técnica e tecnológica”, termina.

Imprimir