Médicos de família querem «redimensionamento urgente das listas de utentes»

As listas de utentes dos médicos de família têm de ser repensadas já, alerta a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), que organiza amanhã, sábado, uma conferência de imprensa na Ordem dos Médicos, em Lisboa. O objetivo é exatamente "abordar a necessidade urgente de redimensionar as listas de utentes dos médicos de família".

Este encontro com os jornalistas está agendado para as 12h30 e contará com o presidente da APMGF, Rui Nogueira, e o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, realizando-se logo após o fecho do Fórum de Medicina Geral e Familiar (MGF). Este fórum,  intitulado "Redimensionamento urgente das listas de utentes – Uma nova métrica com Unidades Ponderadas e Ajustadas (UPA)", é promovida pela APMGF, decorre no mesmo local.

"Nova métrica para as listas de utentes"

Segundo a Associação dos médicos de família, o fórum "centrar-se-á na proposta desenvolvida pela APMGF nos últimos dois anos, que define uma nova métrica para as listas de utentes dos médicos de família, métrica essa que classifica os contextos de exercício clínico em diferentes categorias de complexidade".

É ainda indicado que a mudança, a ser implementada no terreno, "conduziria a uma melhor prestação de cuidados de saúde, maior acessibilidade das populações, possibilidade de constituição de unidades de saúde familiar (USF) em regiões em que, no contexto atual, tal não é possível". 

Possibilitaria também uma maior disponibilidade dos médicos de família "para desenvolvimento de outro tipo de atividades para além da consulta padrão (promoção de saúde, investigação, formação, etc.)". Por outro lado, com a nova métrica em vigor, considera a APMGF que "será ainda expectável que toda a população portuguesa seja abrangida por médicos de família".

Imprimir