Médicos preocupados com hipertensão em idade pediátrica

Os pediatras reunidos em Albufeira, no seu congresso nacional, presidido por Teresa Bandeira, dedicaram grande atenção à hipertensão, um dos fatores de risco de doença cardiovascular (DCV).

“Avanços recentes na área da Medicina Cardiovascular comprovam que a HTA existe na idade pediátrica e é um fator de risco para o aparecimento de lesões subclínicas em idades jovens, causando o aparecimento de lesões vasculares de aterosclerose precoce e de evolução acelerada, acompanhadas de lesão em órgãos alvo como o cérebro, o olho, o coração e o rim”, salientou a presidente da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP).

Referiu também que “a prevenção faz-se através da sensibilização da população para este facto e através de um diagnóstico precoce e de uma intervenção adequada para a correção do problema”.

Igualmente importante é a adoção de estilos de vida saudáveis, a instituição de uma alimentação saudável, a estimulação à prática de desporto e o controlo no consumo de drogas e de outros tóxicos.

O controlo em idade jovem reduzirá na idade adulta as complicações associadas à DCV. “É por isso que a SPP tem, neste momento, um Grupo de Trabalho de HTA e um programa para o triénio para esta doença”, disse à Just News Teresa Bandeira.

No 15.º Congresso Nacional de Pediatria, que juntou um milhar de participantes, ocorreram cinco conferências, 20 mesas-redondas e seis cursos pós-graduados. No total, houve 61 palestras e, por isso, segundo a presidente da SPP, que tem 17 secções e sociedades científicas especializadas, “é difícil destacar uma ou outra porque, no seu global, foram de excelente qualidade e muito participadas”.

Teresa Bandeira referiu que “a estrutura base do congresso residiu em temas que criam inquietação atual, como a natalidade e os constrangimentos de diversa natureza que são sentidos”. E acrescentou: “Houve a tentativa de apontar soluções que passam, globalmente, pela melhoria dos registos e por cuidados de saúde planificados e coordenados.”

Imprimir