Meliço-Silvestre: Coimbra prestou homenagem ao «investigador de mérito» e ao «homem generoso»

Amigos e admiradores, muitos deles antigos alunos e colegas, prestaram na última quinta-feira, dia 29 de setembro, uma grande homenagem a António Meliço-Silvestre, professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), que proferiu a Última Lição. A sua Jubilação aconteceu precisamente no dia em que celebrou 70 anos de vida.



“Diálogo de Gerações” foi o título que António Meliço-Silvestre deu a esta aula tão especial e que representou “um marco na sua vida académica”, como sublinhou Américo Figueiredo, lembrando que o homenageado se tornou professor catedrático aos 47 anos.

O subdiretor da FMUC interveio na sessão que se realizou no auditório do Centro de Congressos do CHUC em representação do diretor, Duarte Nuno Vieira, ausente no estrangeiro.

Dirigindo-se à assistência, e saudando, nomeadamente, o “pai” do SNS, António Arnaut, o diretor do INSA, Fernando de Almeida, a investigadora Odette Ferreira e o diretor do Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA e Tuberculose, todos eles presentes na sala, o presidente do Conselho de Administração (CA) do CHUC frisou que ali se juntaram “amigos e admiradores” do homenageado, como forma de “agradecimento e reconhecimento”.



José Martins Nunes não deixou de recordar que António Meliço-Silvestre também foi presidente do CA dos CHUC (entre 1988 e 1996) e coordenador da então Comissão Nacional de Luta Contra a SIDA (entre 2003 e 2005).

Referiu-se então ao “homem de Coimbra”, ao “cidadão do Mundo”, ao “investigador de mérito” e ao “homem generoso” que foi condecorado pelo Presidente da República, no dia 10 de junho de 2010, com as insígnias de “Grande Oficial da Ordem do Mérito”.

“Obrigado por tudo o que nos deu e por tudo o que nos ensinou”, afirmaria depois Saraiva da Cunha, diretor do Serviço de Doenças Infeciosas do CHUC, dirigindo-se a António Meliço-Silvestre, que desempenhou esse cargo entre 1 de setembro de 1985 -- ano em que foram diagnosticados na zona Centro os primeiros casos de infeção pelo VIH -- e maio de 2009.

O último interveniente na sessão de homenagem organizada pelo Serviço de Doenças Infeciosas do CHUC e pela FMUC foi o provedor de Justiça José de Faria Costa, que se referiu ao seu amigo como “um verdadeiro académico, comprometido com o ensino e com a investigação”.

“Reconhecemos esta permanente insatisfação, que se confunde com teimosia”, disse, através da mensagem vídeo projetada no auditório, imediatamente antes de António Meliço-Silvestre iniciar o seu “momento de reflexão pessoal”.



Na sua Última Lição (“para amigos”), falou de bactérias, de vírus, de parasitas, referiu-se às novas doenças emergentes e reemergentes e abordou o tema da Medicina baseada na evidência. Mas, acima de tudo, prestou uma grande homenagem ao seu pai, também ele médico, também ele chamado António Meliço-Silvestre.







Podem ser consultadas mais fotos na Galeria de imagens, aqui.

Imprimir