Minimizar os riscos transfusionais «mas não numa lógica de poupança de sangue»

Melhores resultados em saúde e evitar o recurso desnecessário à terapêutica transfusional são os principais benefícios de um programa de gestão do sangue do doente (Patient Blood Management - PBM), segundo António Robalo Nunes, presidente do Anemia Working Group Portugal.

Em declarações à Just News, a propósito da recente reunião Anemia 2018, o responsável adianta haver motivos para satisfação com os projetos-piloto que estão a decorrer nesta área: "Portugal está no bom caminho, seguindo as recomendações da Comissão Europeia (CE) no sentido de se interferir, de forma positiva, numa área de risco importante.”


Anemia 2018 decorreu no final de novembro, em Lisboa

O especialista salienta que o objetivo do PBM é “minimizar a utilização de componentes através de alternativas, mas não numa lógica de poupança de sangue e, sim, de melhoria de cuidados ao obter-se uma redução da carga transfusional”.

Daí que veja "com bons olhos" o Despacho n.º 3387, de março de 2018, do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, que determina a implementação da PBM através de projetos-piloto em nove hospitais: Centro Hospitalar Universitário de S. João, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, os três IPO (Lisboa, Porto, Coimbra), Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano e Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira.

Este programa permite assim “a melhoria dos resultados em saúde, que está associada a um menor consumo de recursos, representando um passo importante para a segurança dos doentes, prevenindo ou tratando a anemia, minimizando as perdas sanguíneas e otimizando a tolerância dos doentes à anemia, sem recurso desnecessário à terapêutica transfusional”.


António Robalo Nunes

Este foi um dos temas abordados no evento Anemia 2018 que, segundo António Robalo Nunes, tem contribuído para juntar diferentes profissionais.

De acordo com o médico, “nos últimos anos existe uma maior consciencialização do problema que é a anemia e, nesta reunião, é visível como é possível juntar especialidades diferentes para encontrarem as melhores soluções para este problema de saúde.”


Sob o lema "À procura de novos paradigmas", a reunião despertou grande interesse também junto dos profissionais mais jovens 



seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


I Jornadas Multidisciplinares de Medicina Geral e Familiar: «um marco formativo»