Monitorização de doentes: Hospitalização Domiciliária do HGO vence prémio de inovação

O projeto "A utilização de IoT na monitorização de doentes em hospitalização domiciliária" foi implementado em abril de 2020 pela Unidade de Hospitalização Domiciliária do Hospital Garcia de Orta (HGO).

Esta valência, que tem permitido "garantir a monitorização próxima, remota e fiável dos doentes sem a necessidade de visitas presenciais", vence agora o Prémio Saúde Sustentável 2021 na categoria Inovação e Transformação Digital.

O projeto consiste na "criação e desenvolvimento de um kit de telemonitorização colocado em casa do doente que permite a interação com o doente, possibilitando aos profissionais de saúde avaliar os parâmetros clínicos em tempo real e realizar videoconsultas", recorda o HGO.


Elementos da equipa de UHD

Mais vagas em hospitalização domiciliária e menos infeções

Esta solução, desenvolvida pelo HGO com a colaboração da Lean Health Portugal, Vodafone IoT Portugal e ThinkDigital, permitiu uma melhor articulação entre a Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD) e os doentes, contribuindo para o aumento da satisfação dos utentes e o aumento dos níveis de confiança.

Por outro lado, esta ferramenta permitiu "aumentar o número de vagas na UHD, com consequente redução do número de visitas e de custos, bem como diminuir o número de infeções associadas aos cuidados de saúde".

O kit de monitorização é composto por nove dispositivos: esfigmomanómetro, oxímetro, termómetro, glucómetro, balança, sensor de queda, botão de pânico com GPS, um tablet e um hub de ancoragem.

Adianta ainda o HGO que se trata de uma ferramente "replicável para a hospitalização domiciliária e programas de gestão da doença crónica como a insuficiência cardíaca, doença pulmonar crónica obstrutiva, diabetes ou até em programas de reabilitação".



Armenio Neves, administrador hospitalar no HGO, com dois representantes da equipa vencedora: Fernando Palhim, enfermeiro responsavel da UHD, e Filipe Dias, enfermeiro da UHD

Redução do tempo de internamento

Ainda no âmbito do Prémio Saúde Sustentável 2021, o Serviço de Medicina Interna do HGO foi finalista na categoria Integração de Cuidados, com o projeto “Huddle Meetings – a multidisciplinariedade na diminuição do tempo de internamento do Serviço de Medicina Interna”.


Elementos da equipa de Medicina Interna

Este projeto tem como objetivos diminuir a demora média de internamento no Serviço de Medicina Interna e UHD e reduzir os constrangimentos para a alta hospitalar do doente, como a não realização de meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT) para decisão de alta e eventuais problemas sociais dos doentes, que neste projeto contou com a parceria com a Lean Health Portugal.



Luís Amaro

Para Luis Amaro, presidente do Conselho de Administração do HGO, “estas distinções são o reconhecimento do trabalho de profissionais altamente dedicados em promover melhores condições para os nossos utentes e seus familiares, sobretudo em época de pandemia".

De acordo com o responsável, "a inovação e reorganização de circuitos é, hoje, uma constante no funcionamento das equipas do HGO, e sem a qual era impossível alcançar os resultados assistenciais a que nos propomos”.

Imprimir