Morrem 50 portugueses por dia devido a doenças do foro respiratório

Em apenas um ano a mortalidade por doenças respiratórias aumentou 16,58%, sendo as pneumonias e os cancros do aparelho respiratório a principal causa de mortalidade, representando 60,29% dos óbitos. Estes são alguns dos dados mais preocupantes do Relatório do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias (ONDR) 2013, que foram apresentados hoje, na Fundação Portuguesa do Pulmão.

Intitulado "Prevenir a doença, Acompanhar e Reabilitar o Doente", o documento que analisa a situação atual da saúde respiratória em Portugal mostra que a mortalidade e o internamento por doenças respiratórias aumentaram em 2012 e sugere que estes dados são reflexo da crise económica e financeira que o país atravessa.

A nível de internamento por doenças respiratórias verificou-se um aumento em cerca de 10%, estando as pneumonias (61,4%), a DPOC (12,7%) e as neoplasias (9%) no topo das principais causas.

Artur Teles de Araújo, presidente do ONDR e da Fundação Portuguesa do Pulmão, afimar que "são muito preocupantes os dados de 2012 no que diz respeito à mortalidade e aos internamentos hospitalares por doenças respiratórias em Portugal. Assistiu-se a uma subida abrupta da mortalidade, praticamente em todas as doenças respiratórias. Morrem por dia 50 portugueses devido a doenças do foro respiratório. Torna-se, pois, essencial uma análise e reflexão sobre as razões que motivam estes valores."

Imprimir