Mulheres «dominam» Pediatria portuguesa

A Pediatria portuguesa é exercida maioritariamente por mulheres. Teresa Bandeira, presidente da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), em declarações à Just News, refere que “não temos ainda a caracterização absoluta deste fenómeno, mas é uma das nossas metas futuras: ter um reconhecimento da realidade de quantos pediatras estão a trabalhar em Portugal e a caracterização desta atividade”.

O predomínio do género feminino verifica-se igualmente noutros locais, como o Reino Unido ou os EUA, mas não com a magnitude verificada em Portugal. A presidente da SPP adianta que “as razões não estão estudadas e, por isso, apontar para algumas seria especulativo”.

Ao ser questionada sobre qual o ponto da situação que faz da Pediatria praticada em Portugal, comparativamente com a exercida noutros países europeus, Teresa Bandeira responde que, entre nós, ela “é exercida num sistema misto, público e privado. A Pediatria no contexto público está centrada nos hospitais e o exercício da Pediatria ambulatória ligada à prática privada”.

Por sua vez, “em Espanha, existe um sistema público de Pediatria ambulatória e, noutros países, sistemas também com maior tendência para um ou outros destes exercícios”.

A presidente da SPP menciona que, “nesta fase, discute-se na Europa e no Mundo qual a melhor forma de exercício da Pediatria em tempos de mudança, reflexo das mudanças desencadeadas pela inversão da pirâmide etária, com reorientação de cuidados de saúde. Este é, pois, um tema sobre o qual estamos a refletir profundamente com outros parceiros, mas para o qual ainda não temos uma resposta definitiva. Havemos de ter uma opinião”.

Por fim, sobre as maiores dificuldades sentidas pelos pediatras no nosso país, Teresa Bandeira diz que, “este ano, fizemos um inquérito à população para conhecer o que se pretendia de um pediatra. No próximo ano, faremos um inquérito aos pediatras e depois já saberemos responder de forma correta”.

Imprimir