Nos últimos 30 anos, assistiu-se a «um aumento significativo da acne no adulto»

Em entrevista à Just News, publicada na última edição do Jornal Médico dos Cuidados de Saúde Primários, o atual presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, António Massa, aborda os tratamentos mais avançados para combater aquela que é uma das patologias mais frequentes nesta área da Medicina, falando também de prevenção, ou dos cuidados a ter com a face, nomeadamente no que respeita à questão da maquilhagem nas portadoras da doença.

O responsável refere que "assiste-se hoje ao aparecimento da chamada acne tardia ou do adulto, que pode traduzir uma continuidade de lesões anteriores, ou surgir pela primeira vez", explicando que, se há três décadas, a percentagem de afetados rondava os 5%, nas mulheres, e os 3%, nos homens, "trabalhos recentes – um dos quais realizado no Grande Porto, por alunos do ICBAS, em 2012 --, mostraram que, em 1057 doentes que se deslocaram aos centros de saúde por outras razões que não a consulta de Dermatologia, apresentavam lesões de acne em 60,5% dos casos."

Ainda que a maior parte apresentasse doença ligeira, acrescenta António Massa, "muitos deles possuíam lesões particularmente incomodativas e de longa duração, atingindo preferencialmente a parte baixa da face e o pescoço".

O presidente da SPDV não tem dúvidas de que "este problema é hoje um dos grandes motivos de consulta de pessoas que, por razões de bem-estar ou necessidade de bom aspeto, na maioria das vezes, por uma questão sobretudo profissional, não podem recorrer só a maquilhagem para disfarçar a doença".



O tratamento tópico "deve ser iniciado o mais cedo possível"

Questionado sobre o tratamento ou tratamentos mais avançados disponíveis neste momento, esclarece que "os tratamentos são uma conjunção de terapêutica tópica e oral, sendo que a oral é utilizada nos momentos de maior gravidade. Em nossa opinião, o tratamento tópico deve ser iniciado o mais cedo possível, ou seja, logo que aparecem as primeiras lesões, e continuado pelo menos durante 6 a 12 meses após o doente estar livre de qualquer lesão."

Dos medicamentos tópicos, refere António Massa, "destacamos a tretinoína, o adapaleno e o ácido salicílico, para utilizar quando houver um predomínio de pontos negros e brancos, tendo como função sobretudo permitir a abertura do folículo pilossebáceo, sendo o peróxido de benzilo o principal medicamento tópico utilizado quando estivermos em presença de acne inflamatória. Nos últimos anos, surgiram no mercado combinações destes e de outros produtos, os quais pretendem ter mais eficácia e menos efeitos secundários".



A entrevista com António Massa pode ser lida na edição de julho do Jornal Médico dos Cuidados de Saúde Primários.

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã