Nutrição: são 7 os projetos portugueses de investigação financiados no âmbito dos EEA Grants

Foram apresentados recentemente, num evento que decorreu nas instalações do Infarmed, os 26 projetos nacionais de investigação na área da saúde, organizados em quatro "áreas prioritárias", que vão ser apoiados com 12 milhões de euros no âmbito do “Programa Iniciativas de Saúde Pública - EEA (European Economic Area) Grants PT 06”.

Através deste Programa, e com o apoio de três países doadores – Noruega, Islândia e Liechtenstein –, são financiados projetos e iniciativas em 16 Estados membros da UE, com vista à redução das desigualdades no acesso à saúde por parte dos cidadãos e com o objetivo de reforçar as relações bilaterais entre as instituições dos vários países.

Na área da Nutrição, os projetos visam melhorar a informação disponível em Portugal relativamente à prevalência de desnutrição, obesidade e sarcopenia na população com mais de 65 anos; capacitar profissionais de saúde para a vigilância nutricional de idosos; promover a alimentação saudável, e a baixo preço, junto de grupos vulneráveis; avaliar o impacto do uso de sal iodado nos refeitórios escolares; melhorar o estado nutricional dos idosos nos serviços de internamento; difundir práticas que promovam a saúde, a segurança alimentar e nutricional; e melhorar os hábitos alimentares de alunos segundo o padrão da dieta mediterrânea.

As outras três áreas prioritárias deste programa de financiamento são a Saúde Mental, Doenças transmissíveis e Sistemas de informação. De acordo com Rui Santos Ivo, presidente da Administração Central de Saúde (ACSS) - a entidade operadora do programa, o apoio demonstra "o excelente trabalho e empenho dos investigadores portugueses nestas áreas prioritárias” e acrescenta: “tivemos 300 candidaturas, ou seja, fomos dos países com maior participação.”


Conheça com mais detalhe os 7 projetos na área da Nutrição:

O projeto “Nutrition 65UP – Nutritional Strategies facing an Older Demography, da responsabilidade da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, tem como principal objetivo melhorar a informação disponível em Portugal relativamente à prevalência de desnutrição, obesidade e sarcopenia na população com mais de 65 anos. O valor total do projeto é de 519.907,76 €, sendo que o valor coberto pelo PT06 de 441.921,60 €. São parceiros o Institute for Cancer Research and Molecular Medicine, Faculty of Medicine, NTNU, Norway e Unidade Local de Saúde do Alto Minho, EPE.

O projeto Capacitação de profissionais de saúde em nutrição na idade sénior: uma abordagem holística: PRONUTRISENIOR” é um projeto que tem por objetivo a capacitação de profissionais de saúde para a vigilância nutricional de idosos, bem como desenvolver programas de formação presenciais ou à distância destinados a profissionais de saúde na área da geriatria. O projeto, cujo promotor é Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, será desenvolvido no ACES Espinho Gaia, USF-Nova Via, e conta com a Faculdade de Letras da Universidade do Porto, School of Health Sciences – University of Iceland e com a Oslo and Akershus University College of Applied Sciences (HiOA) como parceiros. Tem um custo total de 395.518,41 € e está coberto em 336.190,65 € pelo PT06.

O “Nutriscience” é um projeto que tem como principal objetivo o desenvolvimento de ferramentas educacionais que visem capacitar grupos vulneráveis, nomeadamente famílias de baixo nível socioeconómico com crianças entre os 5 e 10 anos, de conhecimentos sobre uma alimentação saudável a baixo preço. A Faculdade de Letras da Universidade do Porto, promotora do projeto, pretende desenvolver materiais e conteúdos que irá divulgar por vários meios de comunicação. Acreditando que a interação, personalização e gamificação inerentes ao projeto serão fatores de sucesso para atingir os grupos alvo. São entidades parceiras a Universidade de Oslo, a Rádio Televisão Portuguesa e a União das Misericórdias Portuguesas. O custo do projeto é de 402.505,91 € e o valor atribuído pelo PT06 é de 342.130,02 €.

O “SIMETRIA – Projeto de Promoção de Igualdade Nutricional e Social” visa desenvolver ações capacitadoras junto de profissionais com intervenção próxima de grupos vulneráveis para difundir práticas que promovam a saúde, a segurança alimentar e nutricional. A Liga Portuguesa de Profilaxia Social, promotora do projeto, pretende capacitar cerca de 300 profissionais de saúde, serviço social e outros para atuarem em contextos sociais desfavorecidos. Para tal vai contar com 218.698,00 € do PT06, sendo que o custo total do projeto é de 185.893,30 €.

A importância de uma ingestão adequada de iodo é amplamente reconhecida ao longo da vida, nomeadamente em idades pediátricas. Recentemente a Direção Geral de Educação publicou uma circular vinculativa sobre o uso de sal iodado nos refeitórios escolares. A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto pretende, com o projeto “IoGeneration”, avaliar o impacto desta medida na saúde de crianças do ensino básico. Este projeto pretende ainda sensibilizar profissionais dos serviços alimentares escolares e comunidade. Tem um valor total de 434.874,28 € e é suportado em 369.643,14 € pelo PT06.

“Rastreio da Desnutrição na população idosa de um hospital central universitário no norte de Portugal” é o projeto do Centro Hospitalar de São João EPE que tem por objetivo atuar junto dos serviços de internamento e dos centros de saúde da área de influência deste hospital de modo a melhorar o conhecimento do estado nutricional dos mais idosos. O objetivo principal é melhorar o estado nutricional desta população com recurso a uma abordagem multidisciplinar, permitindo o acesso da população idosa e malnutrida às equipas especializadas de nutrição. Os objetivos deste projeto enquadram-se na NSP 2012-2016 Obtaining Health Gains (HSG1) e Promoting Supportive Environments for Health Throughout the Life Cycle (HSG2). O valor total é de 566.964,47 € e é suportado em 481.919,88 € pelo PT06.

“Eat Mediterranean: A Program for Eliminating Dietary Inequality in Schools”, este é um projeto promovido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, IP, que pretende melhorar os hábitos alimentares de alunos de Agrupamentos de Escolas do Distrito de Santarém segundo o padrão da dieta mediterrânea. O projeto pretende, globalmente, melhorar oferta alimentar em ambiente sócio-educativo, numa estreita parceria com entidades do setor universitário, municípios e agrupamentos de escolas. O projeto tem um valor de 663.085,24 € e é suportado em 425.976,78 € pelo PT06.

Imprimir