Prémio distingue investigação sobre satisfação dos jovens no primeiro ano de contraceção

O Prémio em Contraceção 2014, no valor de seis mil euros, foi atribuído pela Sociedade Portuguesa da Contraceção (SPDC), com apoio da Gedeon Richter, ao projecto ‘Adolescentes e Contraceção de Longa Duração - Satisfação e continuação no primeiro ano de utilização’.

O projecto vencedor foi anunciado no 20º Congresso Português de Ginecologia e Obstetrícia e atribuído ao trabalho de investigação sobre a satisfação dos jovens no primeiro ano de utilização de métodos de contraceção de longa duração (DIU e implante). Estes métodos estão particularmente aconselhados em idades mais jovens, pela sua elevada eficácia e comodidade de utilização, contributos importantes para a redução da gravidez não planeada. Fazem parte da equipa do trabalho vencedor Lúcia Correia, Ana Marujo, Inês Antunes, Isabel Martins, Fátima Palma e Maria José Alves da Maternidade Alfredo da Costa.

Foram sete os trabalhos que concorreram ao único prémio nacional na área da saúde sexual e reprodutiva e ao qual puderam candidatar-se licenciados, profissionais de saúde ou educação na área da saúde sexual e reprodutiva, sócios da SPDC.

“Este prémio procura incentivar a investigação nacional na área da saúde sexual e reprodutiva. Tem sido crescente o número de trabalhos que têm concorrido ao prémio desde a sua criação em 2012 o que traduz um interesse progressivamente maior nesta área da saúde.” afirma a SPDC

Os trabalhos candidatos foram avaliados por um júri nomeado pela SPDC, constituído por cinco médicos diferenciados na área da saúde reprodutiva.

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã