«Prémio Jorge Caldeira» distingue o melhor trabalho na área da diabetes

O Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus (NEDM) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) e a Merck SA instituíram o "Prémio Jorge Caldeira", que se destina a galardoar o melhor trabalho clínico apresentado anualmente nas reuniões daquele Núcleo. O anúncio da criação deste prémio foi feito por Estevão Pape, especialista em Medicina Interna e Diabetologia, durante a cerimónia de abertura da 10.ª Reunião Anual do NEDM.



De forma emocionada, Jorge Caldeira dirigiu-se à plateia, recordando alguns dos momentos da sua longa carreira dedicada à área da diabetes e agradecendo o facto de ter sido atribuído o seu nome a este prémio.



Por seu lado, Virgínia Calisto, do Departamento Médico da Merck SA, afirmou ser uma honra para esta companhia farmacêutica patrocinar um prémio que homenageia um profissional que tem revelado uma “grande dedicação” à diabetes e é reconhecido quer pelos doentes, quer pelos profissionais de saúde.

Com 75 anos de idade, o internista Jorge Caldeira está ligado à diabetes há mais de quatro décadas. Antes de se aposentar, há 5 anos, integrava a Clínica de Diabetes e Nutrição do Hospital de Santa Maria, fundada por Pedro Lisboa. De destacar, também, o trabalho importante que tem desenvolvido no âmbito da formação pré e pós-graduada.



O vencedor da 1.ª edição deste prémio, no valor de 2500 euros, foi conhecido na sessão de encerramento da 10.ª Reunião Anual da NEDM. O galardão foi atribuído ao trabalho “Diabetes gestacional – a realidade de uma região atlântica”, apresentado pelo Serviço de Medicina e de Obstetrícia do Hospital da Horta, nos Açores, cuja primeira autora é Catarina Cabral.








Imprimir