Prevenção da artrose implica «movimento de pedagogia» junto dos jovens

Para o ortopedista João Salgueiro, do Hospital São Francisco Xavier, “é tempo de ser proativo” na prevenção da artrose, apostando nos cuidados preventivos para evitar a necessidade de intervenção cirúrgica. “Só este tipo de abordagem pode promover e prolongar a qualidade de vida do doente”, garante.

“Esta ação deve ter início nos bancos da escola, mas também se deve apostar na prevenção dos acidentes rodoviários e de trabalho”, esclarece o médico. No seu entender, “todo o esforço deve ser feito de forma convergente e tendo como fim último a diminuição do sofrimento humano, evitando a incapacidade locomotora e as consequências sociais inerentes”.



Esta ambição de João Salgueiro foi manifestada nas 5.as Jornadas do GECA, o Grupo de Estudo da Cartilagem, Prevenção e Tratamento da Artrose da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT), que fundou e coordena. O responsável aproveitaria o evento para realçar a vitalidade do Grupo.

“Temos dado espaço à necessidade de novos conhecimentos e à transmissão de experiências, promovendo a globalização da ciência e da sabedoria, para além da via meramente académica”, afirmou.

Salientando que o envelhecimento da população é um aspeto positivo, João Salgueiro lembrou que esse facto acaba por “levantar novos desafios”, devendo todos os profissionais da área da saúde “contribuir para que o aumento da esperança média de vida seja acompanhado da manutenção de cuidados de saúde adequados”.

“Se atingirmos esse patamar, poderemos proporcionar a essa faixa da população um bem-estar, uma mobilidade e uma utilidade efetivas”, resumiu, frisando que, na maior parte dos casos, se trata de pessoas mais velhas, mas que, ainda assim, podem transmitir a experiência acumulada e desempenhar funções adequadas à sua condição física e intelectual. “Este facto será determinante para que os mais idosos se sintam participantes na vida em sociedade”, reiterou.

Abordando a questão sob o ponto de vista económico, fez questão em sublinhar que o desenvolvimento dos meios necessários à prevenção primária, secundária e terciária das artroses poderá proporcionar a redução de despesa no setor da saúde.



Na sessão de encerramento da reunião, que se realizou recentemente em Lisboa, João Salgueiro não deixou de se referir à participação cada vez mais significativa de especialistas de Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar, Reumatologia, Angiologia e Fisiatria no evento.

De referir que, por ocasião das 5.as Jornadas do GECA, realizou-se o 8.º Curso Teórico-Prático sobre Cartilagem Articular.

Relembrado por João Salgueiro como “determinante” na fundação do GECA, o presidente da SPOT, Fernando Fonseca, aproveitou a ocasião para elogiar o caminho feito e salientar a dinâmica atual da sociedade científica que lidera.


Fernando Fonseca e João Salgueiro.

Referindo-se à patologia da cartilagem como “uma área fundamental”, o presidente da SPOT, Fernando Fonseca, aproveitou para falar da “importância de uma aposta na prevenção da artrose”, recordando que “vivemos cada vez mais anos e que é importante que o façamos com qualidade”.


Palestrantes das 5.as Jornadas do GECA.

Imprimir