«Santo Graal da cardiologia» vence prémio Fundação Altran para a Inovação

O projeto de telemedicina IBI-CardioRotors acaba de vencer o prémio Fundação Altran para a Inovação 2014. Uma equipa de seis pessoas ligadas às áreas das engenharias, da medicina e de fisiologia humana, pensou, criou e desenvolveu o colete elétrico, agora em fase de desenvolvimento do protótipo. “Isto basicamente é o Santo Graal da cardiologia”, afirma Bruno Gil, um dos elementos da equipa vencedora.

A solução IBI-CardioRotors, investigada e criada pela IBITRO, uma startup que surgiu no verão de 2013, consiste num sistema de mapeamento imagiológico 3D, não invasivo, para localização de correntes elétricas espirais anormais no tecido cardíaco, que permite monitorizar detalhadamente a corrente elétrica e respetivas flutuações, durante a cirurgia, internamento ou ambulatório. Ou seja, o colete elétrico pretende assim estudar os ritmos cardíacos, em ambos os seus estados, normal e em arritmia.

Ao conseguirem tornar totalmente operacional esta ferramenta, que possibilita analisar e compreender a origem das alterações do ritmo cardíaco, têm a ambição de "descobrir um dos enigmas do coração", tal como é referido em comunicado. Da lista de entidades com interesse neste equipamento médico, é adiantado que constam, por exemplo, hospitais, públicos e privados, e clínicas de desporto, "permitindo-lhes monitorizar os atletas".

“Dos quatro finalistas - nesta fase, todos eles projetos de elevada qualidade no setor da telemedicina - o júri do prémio decidiu apostar no IBICardioRotors precisamente pela extrema importância do projeto no apoio à melhoria dos cuidados de saúde para os pacientes, conseguidos através da inovação tecnológica", sublinha a diretora geral da Altran Portugal, Célia Reis.

Acrescenta ainda a responsável: "Sabemos da importância destes prémios para o reconhecimento do trabalho de investigação e da necessidade de apoio empresarial que permita alavancar os projetos, desenvolvendo-os e concretizando-os! Por esta mesma razão, a equipa vencedora vai contar com toda a colaboração da Altran, através de apoio personalizado da nossa equipa."

A final internacional do Prémio realiza-se em janeiro de 2015 em Paris, França.

A equipa vencedora
Da equipa que venceu o prémio Fundação Altran para a Inovação 2014 fazem parte:
- Bruno Gil, 29 anos, com mestrado  Integrado em Engenharia Biomédica e doutoramento em Engenharia Eletrotécnica e de  Computadores, ambos pelo IST - Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa;
- Raúl Martins, 42 anos, com licenciatura, mestrado e doutoramento em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, também pelo IST;
- Mário Oliveira, 50 anos, licenciado em Medicina, mestrado em Medicina Desportiva e com doutoramento em Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa;
- Sérgio Laranjo, de 31 anos de idade, também licenciado em Medicina, pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa;
- Isabel Rocha, 49 anos, licenciada pela Universidade de Farmácia de Lisboa, com mestrado, doutoramento e agregação em Fisiologia Médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa; 
- Cristiano Tavares, 33 anos, com mestrado Integrado em Engenharia Biomédica pelo Instituto Superior Técnico.

O júri
Henrique Martins, presidente do conselho de administração dos serviços partilhados do ministério da Saúde e presidente do júri do Prémio Fundação Altran para a Inovação 2014; Adelaide Belo; Fernando Gomes da Costa; Luís Gonçalves; e Luís Mota Capitão.

Imprimir