SPAIC realiza curso dedicado à Alergologia Molecular

Dirigido, sobretudo, a especialistas em Alergologia e Imunologia Clínica, mas também a outros profissionais de áreas não clínicas, com interesse pelas doenças alérgicas, o “Curso de Alergénios e Imunoterapia – A abordagem molecular“, que se realizou esta sexta-feira, tem como principal objetivo a atualização de alguns aspetos relacionados com o diagnóstico da sensibilização alérgica e a sua caracterização mais detalhada, assim como as implicações terapêuticas.

De acordo com Luís Delgado, presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), este curso de formação pós-graduada foi organizado pelo Grupo de Interesse de Alergénios e Imunoterapia da SPAIC e dedicou-se, sobretudo à Alergologia Molecular, uma área que, nos últimos 10 anos, tem vindo a desenvolver-se.

“Devido aos avanços da Biotecnologia, conhecemos hoje muitíssimo melhor a composição das principais substâncias que originam alergia”, afirmou à Just News. E explicou: “O facto de podermos dissecar esses principais componentes, permite-nos ter um diagnóstico mais bem aferido, no sentido de poder definir a probabilidade do alergénio ter uma relevância clínica para o doente e, até, estar relacionado com formas mais graves da doença alérgica. Isto tem aplicações na aproximação ao tratamento e/ou evicção do alergénio.”

O curso teve inicialmente, segundo contou, uma abordagem teórica ao tema e, posteriormente, com a apresentação de casos clínicos com questionários, em que os formandos teriam de optar por um tratamento.

Durante o período da tarde, foi feita uma visita ao Laboratório de Imunologia Clínica do Instituto de Medicina Molecular, em Lisboa, sendo possível ver os aspetos mais práticos da execussão laboratorial de alguns dos testes e, de seguida, revisitaram os casos clínicos expostos durante a manhã, com mais elementos de diagnóstico que poderão ajudar a fazer opções diferentes daquelas que tomaram quando não tinham toda a informação.

“Devido ao seu carater prático, planeámos um curso para 20 pessoas. Mais especialistas queriam participar e, por essa razão, vamos repetir a formação no primeiro dia da Reunião Anual da SPAIC, que vai decorrer, no Porto, de 3 a 5 de outubro”, avançou Luís Delgado.

O “Curso de Alergénios e Imunoterapia - A abordagem molecular” teve lugar na sede da SPAIC, em Lisboa, e contou com o apoio da ThermoFisher Scientific.

Não deixando de salientar o grande interesse e importância da Alergologia Molecular, durante a intervenção que fez na introdução do curso, Paulo Dias, da ThermoFisher Scientific, falou da história desta companhia, que nasceu numa farmácia, em Estocolmo, em 1911.

“Começou por chamar-se Pharmacia, teve outros nomes, voltou a chamar-se Pharmacia, esteve depois dentro da Pfizer, voltou a estar sozinha, o último e mais forte nome que teve foi Phadia e agora faz parte da enorme companhia que é a ThermoFisher Scientific”, recordou. É, segundo indicou, uma empresa grande, tem 50 mil colaboradores e vendas na ordem dos 17 milhões de dólares.


Podem ser consultadas mais algumas fotos do curso aqui.

Imprimir