Teixeira Veríssimo é o novo presidente da Sociedade de Aterosclerose

Manuel Teixeira Veríssimo, especialista de Medicina Interna do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), é o novo presidente da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose (SPA), sucedendo a Alberto Mello e Silva. A tomada de posse acontece nas próximas semanas.

Em declarações à Just News, o médico, de 65 anos, afirma que a “prioridade passará por continuar o excelente trabalho efetuado pela Direção anterior, embora com a perspetiva de que cada Direção que entra tem por obrigação deixar a Sociedade melhor do que a encontrou”.

Incluir as especialidades "ligadas à aterosclerose"

O novo presidente da SPA adianta que pretende fazer crescer a Sociedade não só em número de sócios, "mas também na abrangência", isto é, “tentar incluir todas as especialidades médicas ligadas à aterosclerose, como a Cardiologia, Endocrinologia, Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar e Neurologia, entre outras, bem como diferentes áreas profissionais, nomeadamente, Farmácia, Bioquímica, Biologia, Nutrição e Desporto".



Na sua opinião, “e sendo a aterosclerose uma doença multifatorial, é importante que todas as áreas interessadas na doença possam encontrar na SPA um espaço comum que facilite a sua prevenção e tratamento".

Investir na educação para a saúde e na investigação

Por considerar que a formação contínua dos profissionais é “fundamental”, a próxima Direção continuará a investir neste campo, especialmente na área dos fatores de risco cardiovascular em geral e, "em particular, no que diz respeito às dislipidemias".

A SPA irá também, através de campanhas dirigidas ao público em geral, "tentar contribuir para a literacia em saúde dos cidadãos", principalmente na área dos fatores de risco de aterosclerose. O objetivo passa por contrariar, assim, "a tendência da sociedade moderna, marcada pelo sedentarismo e desadequada ingestão alimentar, e que é cada vez mais promotora da aterogénese”.

A investigação é outra área que merece especial atenção da SPA, sendo mesmo intenção da nova Direção "estimular a investigação básica e clínica ligada à aterosclerose", nomeadamente, através da criação de bolsas de investigação e do patrocínio de estágios e formações em centros especializados.

A nova Direção é constituída por elementos oriundos de várias especialidades médicas e também de profissões não médicas da área da saúde. Como é habitual, são provenientes de instituições das regiões Norte, Centro e Sul, "verificando-se um equilíbrio na distribuição geográfica".



Congresso “superou as expectativas”

Manuel Teixeira Veríssimo presidiu ao XXV Congresso Português de Aterosclerose, que decorreu no final do mês de outubro, em Coimbra. Pela importância que o tema assume na atualidade, o internista do CHUC destaca a abordagem que foi feita "aos conceitos tendentes a identificar precocemente o risco para AVC, como é o caso da placa carotídea instável".

Outro dos assuntos que realça é o papel do colesterol na aterosclerose, “um tema clássico mas que nos últimos tempos tem gerado alguma controvérsia”. 

Na reunião foram também discutidas questões relacionadas com a polypill, “um assunto na ordem do dia”, a complexidade do risco cardiovascular, já que “muito se sabe mas ainda muito falta saber”; o papel da nutrição, o risco vascular nas crianças, “correntemente não valorizado”; a diabetes e a relação da sua terapêutica com o risco cardiovascular; bem como o papel da aterosclerose na fibrilhação auricular.

Segundo Manuel Teixeira Veríssimo, “o Congresso superou as expectativas” quer em presenças, registando-se cerca de 400 congressistas, quer na qualidade das intervenções, "que justificaram o facto de a sala estar cheia até ao fim das sessões".

O presidente do Congresso refere também um maior número de comunicações orais apresentadas, “algumas delas de qualidade excecional”, justificando a entrega de um prémio ao melhor trabalho e ainda de uma menção honrosa.


Manuel Teixeira Veríssimo, Luciana Couto e Alberto Mello e Silva

Luciana Couto, professora da Faculdade de Medicina do Porto e especialista de Medicina Geral e Familiar em Gaia, irá ser a presidente do próximo congresso, que se realizará no Porto, um evento que a nova Direção acredita que “irá honrar a memória dos congressos realizados até agora”.

Aterosclerose na base da maioria das doenças cardiovasculares

Manuel Teixeira Veríssimo lembra que as doenças cardiovasculares, incluindo a parte cardiovascular propriamente dita e a parte cerebrovascular, são a principal causa de morte em Portugal. Nesta medida, refere, “sabendo que a aterosclerose está na base da grande maioria dos casos, por aí se pode depreender qual a sua importância no nosso país”.

Tal acontece, afirma, “porque há um envelhecimento progressivo da população, um fator de risco de aterosclerose e suas complicações não modificável, mas também porque os fatores de risco clássicos e modificáveis, como dislipidemia, diabetes, hipertensão arterial, obesidade e sedentarismo, são cada vez mais prevalentes na nossa sociedade. É por isso necessário um investimento forte na prevenção”.



Tendo-se licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) em 1980, Manuel Teixeira Veríssimo especializou-se em Medicina Interna, em 1990, e em Medicina Desportiva, em 1994. Fez depois o mestrado em Medicina do Desporto (1994) e o doutoramento em Medicina Interna (1999), ambos na FMUC. Tem a competência em Gestão de Serviços de Saúde e em Geriatria.

Nos Hospitais da Universidade de Coimbra, é chefe de serviço de Medicina Interna, coordenador de enfermaria de Medicina Interna, responsável pela Consulta de Geriatria e monitor da Prescrição Médica. Na Faculdade de Medicina de Coimbra é regente da disciplina de Geriatria, coordenador do Mestrado de Geriatria e coordenador adjunto do Gabinete de Gestão de Investigação.

Foi presidente da direção da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (2014-2016) e é atualmente vice-presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, membro do Conselho Nacional da Ordem dos Médicos, presidente do Colégio da Competência de Geriatria da Ordem  dos Médicos e vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Ciências da Nutrição e Alimentação.

O especialista de Medicina Interna é ainda sócio da SPA desde a sua fundação e integra os seus corpos sociais, ininterruptamente, desde 2000, tendo pertencido a seis direções (duas como vogal, uma como secretário-geral, duas como vice-presidente e uma como presidente-eleito).



Imprimir