UPA assinala Dia do Implante Coclear: «é a visão biopsicossocial da surdez que está em questão»

A OMS estima que existam 360 milhões de pessoas com deficiência auditiva incapacitante em todo o mundo, lembrou Inês Laborinho, membro da Comissão Organizadora do movimento cívico “UPA – Unidos pela Audição”, ao intervir, em Lisboa, num encontro onde foi assinalado o Dia Internacional do Implante Coclear.

Citando o Inquérito Nacional de Saúde, e de acordo com dados referentes a 2014, Inês Laborinho sublinhou que mais de dois milhões e meio de portugueses têm dificuldade em ouvir, mesmo usando uma prótese auditiva ou um implante.


O elevado número de pessoas nessa situação levou à criação, em maio de 2016, do movimento cívico UPA, constituído por pessoas com deficiência auditiva/surdez, surdos que escolheram ouvir recorrendo a meios tecnológicos (próteses auditivas, implantes) e pais de crianças com problemas auditivos. A sua sede virtual é um grupo no Facebook “UPA - Portugal Unidos pela Audição“, que conta, atualmente, com cerca de 1.000 membros.

No evento que marcou o Dia Internacional do Implante Coclear (25 de fevereiro) e que teve o apoio da Widex, estiveram presentes alguns médicos especialistas, como Ezequiel Barros, presidente da Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia, Luís Filipe Silva, do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, e António Sousa Vieira, do Hospital Lusíadas Porto.


Usando da palavra, Inês Laborinho lembrou a criação do movimento e falou da sua missão, objetivos e atividades. “À UPA chegam diariamente pedidos de ajuda. Damos apoio a centenas de pessoas que nos procuram devido a problemas que lhes surgem no dia-a-dia, relacionados, sobretudo, com o iniciar do processo para implante coclear”, observou, acrescentando terem também em atenção as emoções e as angústias daqueles que os procuram.



“A incapacidade auditiva leva a que se apresentem barreiras a nível comportamental e ambiental, dificuldades de comunicação e movimentação nos diferentes espaços: entidades oficiais, trabalho, escola, lazer. É a visão biopsicossocial da surdez que está em questão”, afirmou.

Outro pressuposto que levou à constituição deste movimento foi, segundo indicou, o facto de se ter constatado não haver sido feito qualquer esforço coletivo “verdadeiramente eficaz e representativo das necessidades das pessoas com perda auditiva”.

O grupo organizador do movimento UPA assumiu como missão a melhoria da qualidade de vida das pessoas com perda auditiva e surdez, apoiando-as na sua vida diária. Para tal, está a trabalhar no sentido de sensibilizar a população para o problema da perda auditiva, informando sobre os meios tecnológicos e apoiando os candidatos à colocação de implantes e de próteses.

O movimento promove, também, a troca de experiências, a construção e implementação de legislação nas áreas em que ainda não existe ou não é eficaz e contribui para a acessibilidade institucional e cultural dos surdos. Além disso, une esforços para que seja implementado, pelo Estado, um sistema de assistência técnica aos implantados e aparelhados, com reparação rápida e entrega de um processador temporário, entre outros aspetos.


André Capelo Vasconcelos, Alice Inácio, Inês Laborinho e Filipe Silva.

A Comissão Organizadora do UPA é constituída por quatro elementos, que constituíram a mesa de abertura do evento que assinalou o Dia Internacional do Implante Coclear 2017: Inês Laborinho, com implante coclear unilateral, professora aposentada do 2.º ciclo do Ensino Básico (Português, Francês), André Vasconcelos, com implante coclear bilateral, interno de Medicina Geral e Familiar na UCSP Monchique, Alice Inácio, com implante coclear unilateral, designer gráfica, ilustradora, webdesigner e autora e ilustradora do livro “Jonas e os ouvidos mágicos”, e Filipe Silva, pai de uma criança com implante coclear unilateral, engenheiro eletrónico.






Podem ser consultadas mais fotos do evento na Galeria de imagens da Just News.





seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir