Victor Ramos é o vencedor do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica 2017

Uma carreira exemplar dedicada aos doentes e à defesa de melhores condições da carreira de Medicina Geral e Familiar (MGF) e dos cuidados de saúde primários em Portugal. É desta forma que o Júri do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica 2017, presidido pelo bastonário da Ordem dos Médicos, explica a escolha de Victor Ramos, médico de família do ACES de Cascais e professor auxiliar convidado da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP).

Das 12 candidaturas apresentadas, esta foi "a que melhor se ajustou ao espírito do prémio bienal", uma distinção instituída em 2012 pela Fundação Merck Sharp & Dohme e pela Ordem dos Médicos. 

"Um estímulo para continuar"

Victor Ramos, que recebeu em 2006 a Medalha de Ouro de Serviços Distintos do Ministério da Saúde, destacou-se, nomeadamente, pelo seu envolvimento no projeto-piloto que inspirou a criação das atuais Unidades de Saúde Familiar (USF), sendo um dos principais impulsionadores, contribuindo para a reforma dos Cuidados de Saúde Primários. 

Em 1996, participou no ‘Projeto Alfa’, que serviu de base ao atual modelo de USF, que viria a ser implementado uma década depois, em 2006. 



Com 40 anos de dedicação aos doentes, o assistente graduado sénior do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Cascais, de 64 anos, possui grande experiência na administração e gestão em saúde, tendo integrado várias missões internacionais da UE e da OMS. 

De acordo com o médico, este prémio é, "sobretudo, um estímulo para continuar com o meu modesto contributo de carreira para a Medicina Geral e Familiar". 

Gestão do tempo: "Medicina familiar tem de ser atenta"

Victor Ramos salienta ainda a importância da gestão do tempo na relação com o doente. Esta é, aliás, uma questão que tem merecido a atenção da Ordem dos Médicos, estando a definir tempos-padrão de consulta para as várias especialidades.  

Segundo o especialista, “a medicina familiar tem de ser atenta, cuidadosa e ponderada, sobretudo perante uma população envelhecida, com problemas crónicos. Mais ainda quando os médicos veem o tempo disponível para o doente consumido pelos dispositivos e aplicações informáticas com que temos de trabalhar”.

Relativamente à situação atual da rede de cuidados de saúde primários, considera necessário "que os decisores políticos ajustem o discurso à realidade e deem, efetivamente, prioridade às USF". E sublinha: "Se os Cuidados de Saúde Primários funcionarem bem, todo o sistema de saúde vai funcionar bem." 



Cerimónia na Ordem dos Médicos

A cerimónia de entrega da 3.ª edição do Prémio Miller Guerra de Carreira Médica – no valor de 50 mil euros – decorrerá na sede nacional da Ordem dos Médicos, em Lisboa, em sessão solene a realizar esta quarta-feira, 29 de novembro, pelas 18 horas, e que conta com a presença do ministro da Saúde.

Em 2013, a primeira edição dedicada à Carreira Médica, distinguiu Mário Moura e, há dois anos, o cirurgião Gentil Martins venceu o Prémio de Carreira Hospitalar. Em cada edição, e de forma alternada, o prémio distingue a carreira médica hospitalar ou a MGF. 

Homenagem a Miller Guerra  

Criado em 2012, o Prémio Miller Guerra homenageia Miller Guerra (1912-1993), professor e médico responsável pelo Relatório das Carreiras Médicas e discípulo de Egas Moniz, único Nobel da Medicina português.   

O Júri do prémio é composto por um presidente – o bastonário da Ordem dos Médicos –, um vice-presidente - o presidente da Fundação Merck Sharp Dohme, os três presidentes das Secções Regionais da OM, um representante da sociedade civil designado pela Fundação Merck Sharp Dohme, um membro da comunidade académica designado pelo Conselho de Reitores, o presidente da Associação dos Médicos de Carreira Hospitalar, o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar e um secretário designado pela Ordem dos Médicos. 



seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir