Jornal Médico 52 - novembro 2017

Três unidades do ACES Lisboa Ocidental e Oeiras estão envolvidas no Programa de Gestão Integrada de Cuidados ao Doente Crónico Complexo. Trata-se de um projeto-piloto da iniciativa do Serviço de Medicina do Hospital de São Francisco Xavier (CHLO), dirigido por Luís Campos, que conta com o apoio da ARS de Lisboa e Vale do Tejo.

No âmbito deste programa, que arrancou no início de junho, 146 utentes da USF Conde de Oeiras, USF S. Julião e USF Oeiras foram identificados como reunindo os critérios estabelecidos para serem incluídos no programa: ter pelo menos 65 anos de idade, mais de quatro idas ao Serviço de Urgência do Hospital de São Francisco Xavier (CHLO) nos 12 meses anteriores e pelo menos uma doença crónica.


Luís Campos, Anabela Costa (ARSLVT) e Carlos Silva Russo

Como refere Carlos Silva Russo, médico de família na USF Conde de Oeiras, “os utentes eram tratados de forma reativa, episódica e fragmentada, o que os tornou grandes frequentadores das urgências, da consulta externa do hospital, do médico de família, com mais de 7 consultas/ano, além de serem também responsáveis por um maior número de internamentos no hospital”.

É no sentido de enfrentar esta realidade, considerada preocupante, que surge o Programa de Gestão Integrada de Cuidados ao Doente Crónico Complexo, "procurando proporcionar uma resposta mais articulada às necessidades destes doentes".

Imprimir