A integração de cuidados no SNS passa por «reforçar o papel crucial das URAP»

Quais os circuitos hospitalares que poderiam ser otimizados se as Unidades de Recursos Assistenciais Partilhados (URAP) fossem dotadas de outras valências? Esta é uma das questões que estará em debate no Encontro Nacional das URAP. Agendado para dia 13 de maio, o evento decorrerá no Porto, no Auditório da Associação Nacional de Farmácias.

De acordo com José Frias-Bulhosa, presidente da Comissão Organizadora, a decisão de organizar esta iniciativa está relacionada com o "momento de enfoque político sobre a eficiência do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a sua capacidade de responder à pandemia COVID-19 e aos desafios do Plano de Recuperação e Resiliência".

Desta forma, salienta o responsável, "importa refletir sobre qual o papel desta Unidade Funcional e dos profissionais das diferentes especialidades".

Serviços de consultoria e assistenciais

José Frias-Bulhosa faz questão de recordar que, com a criação dos Agrupamentos de Centros de Saúde, "as URAP cumprem um papel crucial no seu mandato de prestar serviços de consultoria e assistenciais às restantes unidades funcionais e organizar ligações funcionais aos serviços hospitalares".


José Frias-Bulhosa

Essa é, aliás, outra das questões que vai merecer uma especial reflexão no evento: "Qual o caminho que as URAP têm feito na articulação com as outras unidades, nas ligações funcionais hospitalares e na comunidade?". E, nesse sentido, demonstrar exatamente qual a sua mais valia e "real potencial para a sustentabilidade do SNS?"

Segundo o médico dentista no ACES Porto Ocidental, serão também analisados "os ganhos em saúde que resultam da intervenção dos profissionais das URAP" e os "contributos que podem prestar na viragem do modelo de intervenção biomédico".

Interdisciplinaridade do SNS e reforço das URAP


"O SNS tem levado à prática a interdisciplinaridade na intervenção em saúde", salienta José Frias-Bulhosa. Uma realidade que se compreende pela "necessidade de uma maior aposta na prevenção primária, dado o aumento das doenças de base comportamental, tais como as doenças cardiovasculares, a diabetes, entre outras, a elevada prevalência das doenças do foro mental e o envelhecimento populacional".

E sublinha: "A  sustentação desta interdisciplinaridade só poderá ser amplamente alcançada com o reforço das URAP".

O programa do Encontro pode ser consultado AQUI.

Profissionais de todo o país

Reativamente aos profissionais que estão envolvidos na preparação do Encontro Nacional das URAP 2022, e que integram as comissões organizadora e científica e o secretariado, José Frias-Bulhosa destaca o esforço desenvolvido para que estivessem representadas equipas de várias regiões do país e especialistas das diversas áreas.

Comissão Organizadora 

José Frias Bulhosa – ACeS Porto-Ocidental (presidente)
Cristina Campos – ACeS Feira/Arouca
Débora Cláudio – ACeS Porto-Oriental
Paulo Pereira – ACeS Dão Lafões
Luís Abobeleira – ACeS Sotavento
Carla Patrocínio - ACeS de Lisboa Ocidental e Oeiras
Ana Margarida Ramalho – ULS Baixo Alentejo
Graça Ferreira - ACeS Feira/Arouca
Ana Rita Correia – ACeS Lisboa Norte
Carlos Nujo – ACeS Feira /Arouca 

Comissão Científica
Ana Sousa – ACeS Feira/Arouca (Presidente)
Manuel Nunes - ULS Castelo Branco
Paula Simãozinho – ACeS Algarve Central
Sílvia Gonçalves – ACeS Sintra 
Pedro Maciel Barbosa – ULS Matosinhos 

Secretariado
Vítor Rafael - ACeS Feira/Arouca
Joaquim Paulo Silva – ACeS Porto-Ocidental 

Contacto: encontro.urap2022@arsnorte.min-saude.pt 

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda