Futuros oncologistas vão lidar com «vários problemas psicossociais» associados ao cancro

“Com o aumento da cronicidade do cancro, os internos vão enfrentar vários problemas psicossociais quando se especializarem.” Este é um dos futuros desafios de quem optou pela especialidade de Oncologia, afirmou à Just News a presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO), Gabriela Sousa.

Falando à margem do primeiro Curso de Preparação para o Exame Final da Especialidade de Oncologia, que decorreu no Sana Hotel, em Lisboa, Gabriela Sousa quis realçar as mudanças decorrentes do aumento simultâneo de novos casos de cancro e da taxa de sobrevida.



Para a especialista, este curso foi uma forma de “dar as ferramentas necessárias aos internos, que se encontram numa fase tão difícil para quem está em Medicina”. E continuou: “Alerto ainda para determinados temas que farão parte do seu trabalho como profissionais de saúde, é o caso da oncossexualidade, e para a importância da equipa multidisciplinar, a fim de se conseguir prestar cuidados de qualidade.”



Quanto à parte mais emocional, a presidente da SPO relembrou que “é necessário dar mais atenção à saúde dos profissionais, que vivem cada vez mais numa sociedade muito competitiva.” Gabriela Sousa lançou ainda o mote: “Os internos também têm de começar a pensar na definição do Plano Oncológico Nacional, porque o futuro é deles.”



O curso contou com a participação de 22 internos. “Estão para se formar cerca de 30, mas há quem aproveite este último trimestre do ano para fazer estágios noutros países.” Quanto à iniciativa, a presidente da SPO acredita que o curso, que teve o apoio da Bayer, vá continuar, “porque a SPO também deve estar presente nestes momentos tão decisivos para os futuros oncologistas.”


Imprimir