Sandra Marques: “Queremos reforçar a posição da Boehringer Ingelheim em Portugal”

A Boehringer Ingelheim nomeou, pela primeira vez, um português para o cargo de diretor-geral. Sandra Marques é a nova cara da empresa. Em entrevista ao Jornal Médico, afirma que, após 15 anos de carreira na companhia, esta nomeação representa mais um enorme desafio na sua vida profissional.

“Passei a maior parte da minha carreira profissional na Boehringer Ingelheim, onde estou há 15 anos. Foi esta companhia que me deu as maiores oportunidades de desenvolvimento e crescimento na minha carreira”, salienta Sandra Marques. E sublinha: “Se, por um lado, nunca pensei trabalhar durante tanto tempo na mesma empresa, por outro, é difícil imaginar-me noutra.”


CSP: essenciais na gestão da doença

Ao longo da entrevista, Sandra Marques aborda, entre outros temas, os cuidados de saúde primários, considerando que são a base e o pilar central na gestão da Saúde em Portugal, acompanhando o utente desde a infância até uma idade avançada.

“São fundamentais para assegurar uma abordagem holística e integrada do utente, necessária para atingir os objetivos primordiais do plano nacional de saúde: a promoção da saúde e a prevenção da doença”, indica, acrescentando que, se tivermos em consideração o envelhecimento gradual da população, a exigência da gestão da doença faz com que seja crucial uma boa coordenação com os cuidados de saúde secundários, de forma a garantir um acompanhamento eficaz dos doentes.

A Boehringer Ingelheim desenvolveu, há cerca de um ano, Assist USF, uma plataforma online, de acesso restrito aos profissionais das unidades de saúde familiar. “A Boehringer Ingelheim disponibilizou este serviço numa ótica de parceria e mantemos o compromisso de melhorar continuamente a plataforma, com base nas sugestões dadas pelas próprias USF”, afirma.

O objetivo é dar resposta às necessidades destas unidades em áreas essenciais como a otimização diária de tarefas administrativas, a formação e o apoio à prática clínica, mantendo sempre uma lógica de utilização simples e intuitiva por todas as equipas que constituem as USF. Atualmente, mais de 150 unidades dispõem desta plataforma, o que demonstra a grande recetividade ao Assist USF.



A entrevista completa pode ser lida na edição de julho do Jornal Médico.

Imprimir