Jornal do 14º Convénio da ASTOR e 23.as Jornadas da Unidade de Dor do Hospital Garcia de Orta

Em entrevista à Just News, a diretora da Unidade Dor do Hospital Garcia de Orta, Beatriz Craveiro Lopes, explica qual o ponto da situação do tratamento da dor em Portugal e conta o que a motivou a seguir esta área. No seu entender, o tratamento da dor tem vindo a evoluir, no entanto, de forma mais lenta que o desejável. Ainda assim, não deixa de salientar haver uma maior qualidade na referenciação e tratamento dos doentes por parte das várias especialidades médicas.



Na sua opinião, "verifica-se maior sensibilidade e preocupação no tratamento da dor, por parte das várias especialidades médicas e cirúrgicas hospitalares, assim como dos médicos de Medicina Geral e Familiar. Contudo, a qualidade do tratamento da dor nos doentes está ainda aquém do expectável."



Além dos vários artigos de diversas especialistas, a Just News publica no Jornal do 14º Convénio da ASTOR/23.as Jornadas da Unidade de Dor do Hospital Garcia de Orta uma reportagem sobre a Unidade de Dor do Hospital Fernando da Fonseca, na Amadora, a unidade que foi este ano convidada para fazer parte da Comissão Científica do evento.

Para Ana Pedro, coordenadora da unidade, "a dor tem impacto sobre todos os aspetos da vida do doente, tanto do ponto de vista das emoções como nos aspetos familiar, social e laboral, e esta traz consigo toda essa carga". Assim, considera necessário que se faça uma "abordagem biopsicossocial, ou seja, não ver apenas a dor como um sintoma, mas sim como uma doença e avaliar o doente como um todo e numa perspetiva multidisciplinar".

Imprimir



Siga-nos no Instagram