Jornal Médico 34 - março 2016

30 de dezembro de 2006 foi o dia que marcou o nascimento da USF São Julião, na Figueira da Foz, procurando interligar os CSP, o Hospital Distrital da Figueira da Foz e os laboratórios clínicos numa única rede. “Na altura, falava-se muito do centro de saúde do futuro, conceito para cuja divulgação muito contribuiu o então coordenador da USF, José Luís Biscaia”, relembra Maria Pacheu, a atual responsável.



O projeto Amélie, que a unidade implementou, aposta em duas vertentes: interna e externa. A primeira destina-se aos profissionais e baseia-se em pequenas surpresas que tornem o dia de trabalho mais leve e feliz (mensagens nos cacifos, oferta de flores e de guloseimas, jogos de partilha, risoterapia, etc.). A vertente externa destina-se ao utente, levando-o a sorrir, a partilhar ou a pensar (frases em vários locais da USF, nos cartões de marcação para próximas consultas, etc.).



"É preciso dar nova vida à Reforma dos Cuidados de Saúde Primários", afirma Henrique Botelho, coordenador nacional da Reforma do SNS para os Cuidados de Saúde Primários. Em entrevista à Just News, afirma que o modelo de USF "trouxe grandes mais-valias aos profissionais de saúde e à população". O responsável realça o papel de outros profissionais de saúde, como psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, nutricionistas, higienistas orais e dentistas.

Além de várias outras entrevistas e reportagens, esta edição inclui ainda um Suplemento dedicado à Saúde da mulher e que conta com a colaboração de Daniel Pereira da Silva, presidente da Federação das Sociedades Portuguesas de Obstetrícia e Ginecologia (FSPOG) e dos presidentes das 4 sociedades científicas que integram a FSPOG, que abordam diversas temáticas ao longo das 16 páginas.

Fernanda Águas, presidente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia (SPG), Luís Mendes Graça, presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Fetal (SPOMMF), Teresa Almeida Santos, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução (SPMR), Daniel Pereira da Silva, presidente da FSPOG, e Teresa Bombas, presidente da Sociedade Portuguesa de Contracepção (SPDC).



Imprimir