Nutrição e Diabetes

Cerca de 90% da população diabética tem excesso de peso ou obesidade, sendo que metade nem faz ideia de que sofre de diabetes. Uma ação de sensibilização que incluiu a distribuição de um jornal na rede de hipermercados Jumbo chamou a atenção para a importância da alimentação na prevenção e no controlo da doença.

Com esta iniciativa do Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus (NEDM) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, que procurou alertar para a importância da prática de hábitos alimentares saudáveis, ficou bem claro que, para além do exercício físico e da medicação adequada, a escolha acertada dos alimentos e a forma como comemos é fundamental quando se fala de diabetes.

Até porque, como lembra o médico Carlos Godinho, do Centro Hospitalar do Algarve, “estima-se que haja mais de três milhões de portugueses em situação de pré-diabetes, ou seja, que apresentam um risco aumentado de desenvolver a doença”.

O especialista de Medicina Interna, que é coordenador regional do Programa Nacional para a Diabetes da Direção-Geral da Saúde, faz questão em sublinhar que “todas as pessoas que não praticam exercício físico, que têm hipertensão arterial, níveis elevados de colesterol ou obesidade têm a possibilidade de tornar-se diabéticas”.

Para agravar toda esta situação, as estatísticas dizem que 44% dos diabéticos portugueses ignoram que o são e muitas vezes o diagnóstico só é feito aquando do aparecimento das complicações.

Álvaro Coelho, coordenador do NEDM, esclarece que os principais sintomas que devem fazer pensar em diabetes são a fome e/ou sede intensa, urinar em excesso e o mau estar (prurido, dores de cabeça e outras indisposições).


Carlos Godinho e Álvaro Coelho participaram ativamente nesta vasta ação de sensibilização, com vista a melhorar a literacia dos portugueses no que à saúde diz respeito. Ambos prestam esclarecimentos no jornal que foi distribuído de norte a sul do país.

Na presença destes sintomas, principalmente se também existirem casos de diabetes na família, se a pessoa tiver mais de 45 anos, excesso de peso ou o abdómen (cintura) maior que o desejável, Álvaro Coelho refere ser recomendado fazer o exame de glicemia para verificar a taxa de açúcar no sangue.

No jornal que foi distribuído aos clientes dos hipermercados Jumbo (Grupo Auchan), uma ação que teve o apoio da Boehringer Ingelheim e da Lilly, a nutricionista Vanessa Mendes aconselha a prática de uma alimentação “equilibrada, variada e completa”.

“Devem incluir-se alimentos nutritivos ao longo do dia, como legumes, fruta, cereais, proteínas e gorduras saudáveis, sempre nas quantidades certas e adequadas às atividades diárias”, recomenda, acrescentando:

“Padrões alimentares diários ricos em açúcares e/ou gorduras estão associados ao excesso de peso, um dos grandes fatores de risco do aparecimento da diabetes tipo 2.”



Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã