Opinião

10.º Aniversário do Movimento Vasco da Gama

Luís Pisco

Vice-presidente do Conselho Diretivo da ARSLVT

Luís Pisco
Vice-presidente do Conselho Diretivo da ARSLVT

No momento em que se realiza em Lisboa o 19.º Congresso Europeu da Wonca, é uma boa ocasião para lembrar o Movimento Vasco da Gama (MVdG) e a celebração do seu décimo aniversário.

O Movimento teve origem no evento Junior Doctor Programme – organizado antes do congresso europeu WONCA 2004, em Amesterdão, durante o qual 66 internos e jovens médicos de família de 13 países europeus trocaram experiências e conhecimentos relacionados com a Medicina Familiar, dando início a uma verdadeira rede europeia de comunicação entre internos e jovens médicos de família.

Neste primeiro encontro, o trabalho em pequenos grupos permitiu uma reflexão sobre a definição europeia de Medicina Familiar da WONCA, tendo sido, entre outros temas fundamentais, abordada a necessidade de uniformizar o Internato Complementar de MGF na Europa; facilitar a participação de internos e jovens MF em eventos internacionais; fundar uma rede europeia de internos de MGF.

Ainda em 2004, esta rede foi criada sob a égide da WONCA Europa e foi definida a sua declaração de intenções, abrindo-se o grupo a internos de MGF e jovens MF até cinco anos depois do final do Internato.

Em 2005, a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar convidou os membros do grupo, inicialmente denominado Rede Europeia de Internos de Medicina Geral e Familiar (European Network for Junior Doctors), entretanto criado, para uma reunião em Lisboa, durante a qual foram revistas as tarefas e os objetivos a alcançar e onde surgiu um facto inesperado, que consistiu no batismo da organização com o nome Vasco da Gama Movement.

A ideia partiu de Justin Allen, então presidente do EURACT, em homenagem ao navegador português. Portugal ficou definitivamente ligado à história deste movimento, quer pelo nome escolhido, quer pelo facto da reunião se ter realizado em Lisboa, na sede da APMCG, quer porque João Sequeira Carlos acabaria por ser eleito, em Paris, presidente do Conselho Europeu do Movimento Vasco da Gama. Outros jovens médicos de família portugueses têm tido um papel importante no Movimento, de que destaco a Catarina Matias e a Ana Margarida Cruz.

O lançamento formal do Movimento Vasco da Gama ocorreu em setembro de 2006, no Congresso Europeu que decorreu na Grécia, na ilha de Cós.

Uma das iniciativas mais interessantes apoiadas pela WONCA e pelo Movimento Vasco da Gama, a nível europeu, é o Programa Hippokrates, programa de intercâmbio de internos e jovens médicos de família, com a duração habitual de duas semanas. Este intercâmbio permite, entre outros aspetos, a melhoria de conhecimentos, a familiarização com outros métodos, a melhoria das competências linguísticas e de comunicação, para além de estreitar os laços com profissionais de outros países.

O Movimento Vasco da Gama tem tido grande sucesso em várias áreas de atuação, mas salientaria a melhoria da comunicação entre os internos de MGF da Europa e do mundo, estabelecendo uma verdadeira rede de contactos entre internos e jovens médicos de família.


Artigo publicado na edição de julho do Jornal Médico.

Imprimir