A ORL Pediátrica nacional está «num bom momento de reconhecimento internacional»

De acordo com Jorge Spratley, co-coordenador da Reunião Núcleo do Norte da Sociedade Portuguesa de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (SPORL), que se realizou nos dias 6 e 7 de dezembro, na Póvoa do Varzim, a ORL Pediátrica nacional está "num bom momento de reconhecimento internacional". A prova foi a recente atribuição da organização do próximo 13.º Congresso Europeu de ORL Pediátrica ao nosso país.

Este congresso, de "altíssimo nível internacional", como salienta Jorge Spratley,  decorrerá no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, de 18 a 21 de junho de 2016. Assegura o responsável que, "juntamente com a Dr.ª Luísa Monteiro e os outros colegas envolvidos na comissão organizadora, trabalharemos de forma a honrar o prestígio da SPORL-CCF e da Sociedade Europeia de ORL Pediátrica. Vai ser um período de grande trabalho, de cometimento pessoal e científico. Porém, estamos confiantes de que será um marco importante no impulso da ORL Pediátrica, a nível nacional e internacional."


Em entrevista ao Jornal da Reunião Núcleo do Norte da SPORL, distribuído aos participantes do evento, Jorge Spratley explica que a escolha do tema da reunião – "As Fronteiras da ORL-CCF" – teve como objetivos, "por um lado, discutir assuntos de áreas diferenciadas em que as nossas fronteiras estão a avançar, fruto de novos avanços tecnológicos, e, por outro lado, aflorar temas nos quais alguns territórios por excelência da ORL têm sido abordados por outras especialidades, de forma nem sempre a mais ortodoxa."

Explica ainda que "há grupos de especialistas que tentam elaborar documentos normativos de orientação clínica, sobre otite média, amigdalite e oncologia de cabeça e pescoço, sem a participação de um único otorrinolaringologista".

No próximo ano, a atual equipa organizadora estará de novo envolvida no Congresso Nacional da SORL, que decorrerá integrado no Congresso Luso-Brasileiro e, como tal, contará com uma série de palestrantes ilustres oriundos do Brasil.

Salienta o coordenador da Reunião Núcleo do Norte que, "como estamos próximos da Galiza, posso avançar a informação de que iremos também ter a presença dos nossos colegas da Sociedade Galega, reatando a tradição das reuniões luso-galaicas de ORL. Como se depreende, trata-se de um evento de grandes dimensões, verdadeiramente internacional, que irá rondar os 700 participantes."

ORL portuguesa: um "futuro promissor"

Entre outros temas abordados na entrevista, Jorge Spratley, enquanto regente da cadeira de ORL da FMUP e responsável pelo setor de ORL Pediátrica do Serviço de ORL do Centro Hospitalar de São João, dá a sua opinião sobre a formação dos novos especialistas em Portugal:

"Os alunos de Medicina passam por todos os departamentos do serviço e há uma interligação entre estas duas componentes de funcionamento de um hospital dito escolar. O contacto e convívio intenso que têm também com os médicos do serviço é muito construtivo e apelativo. Os alunos sentem-se verdadeiramente médicos a partir do momento em que entram no quarto ano de Medicina."

Refere ainda que "temos ainda outra componente não menos importante, a de pós-graduação, de mestrados e de doutoramentos, na qual estamos também empenhados, com vários projetos em desenvolvimento. No geral, parece-nos que vivemos numa fase de expansão bem equilibrada." Relativamente ao futuro, considera ser "promissor, tendo em conta a qualidade da formação que está a ser dada aos novos especialistas".


Imprimir