A recomendação internacional da vacina pneumocócica é «um importante avanço no combate à pneumonia»

O Advisory Committee on Immunization Practices do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos Estados Unidos da América (EUA) votou a recomendação da vacina pneumocócica polissacárida conjugada (VPC13) para a proteção de adultos com 65 ou mais anos de idade contra a doença pneumocócica. A Sociedade Portuguesa de Pneumologia considera que a recomendação norte-americana significa “um importante avanço no combate à pneumonia, não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo”.

A pneumonia é uma doença com consequências graves para o doente, e elevados custos para a sociedade. Pode afetar pessoas de todas as idades, especialmente os mais jovens e os mais idosos e é responsável por óbitos em todos os grupos etários, mesmo em pessoas previamente saudáveis.

A idade é um fator de risco. Crianças e idosos são os mais vulneráveis ao pneumococo, pelo que, a pensar na faixa etária sénior, o Comité Consultivo para as Práticas de Vacinação norte-americano recomendou a vacinação pneumocócica conjugada para adultos com 65 ou mais anos de idade.

“Mais do que uma recomendação, esta decisão significa um importante reconhecimento por parte do Comité Consultivo para as Práticas de Vacinação de que a vacinação é a melhor forma de prevenção para a doença pneumocócica”, explica Carlos Robalo Cordeiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP).

“A pneumonia pneumocócica é uma das principais causas de morbilidade e mortalidade de adultos em todo o mundo. O potencial de redução do impacto desta doença pela vacinação de adultos representa, sem dúvida, um benefício significativo para a saúde pública”, adianta o presidente da SPP.

Estudo CAPiTA conclui a eficácia da vacina em adultos com mais de 65 anos

Um estudo internacional publicado recentemente, que incluiu cerca de 85.000 adultos com 65 ou mais anos de idade, demonstrou a eficácia clínica da Vacina Pneumocócica Conjugada 13 – valente (VPC13) na prevenção da Pneumonia Adquirida na Comunidade (PAC) em adultos.

O estudo CAPiTA tinha como principal objetivo a demonstração da eficácia da vacina pneumocócica conjugada 13-valente na prevenção do primeiro episódio de Pneumonia Adquirida na Comunidade (PAC) causada por serotipos incluídos na vacina. Dados relevantes para um país como Portugal, onde um outro estudo recente, da responsabilidade da Sociedade Portuguesa de Pneumologia, documenta que, entre 2000 e 2009, a PAC foi responsável pelo internamento de, em média, 81 adultos por dia, dos quais 16 acabaram por morrer.

Os resultados são claros. O CAPiTA atingiu o objetivo principal, bem como os secundários – demonstrar a eficácia contra um primeiro episódio de PAC não bacteriémica/não invasiva e eficácia contra Doença Invasiva Pneumocócica (DIP) causada por serotipos incluídos na vacina.

“Foi com enorme satisfação que conhecemos os resultados do estudo CAPiTA. É, sem dúvida, um passo em frente no combate à pneumonia na idade adulta” continua Carlos Robalo Cordeiro. “Apesar dos esforços das sociedades científicas ao nível local, e das recomendações para a tomada de medidas preventivas, a pneumonia pneumocócica continua a ser um das principais causas de morbilidade e mortalidade nos adultos. Os resultados deste estudo e a consequente consciência do potencial da vacinação, vêm reforçar esta posição. Representam um enorme contributo para a melhoria da qualidade da saúde pública, não só em Portugal, como em todo o mundo", acrescenta.

Prevenível através de vacinação, a infeção por Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é uma causa comum de morbilidade e mortalidade. As crianças e os adultos a partir dos 50 anos, são os mais afetados pela doença pneumocócica, bem como grupos de risco, que incluem pessoas com doenças crónicas associadas como a diabetes, doenças respiratórias ou cardíacas, e que tenham hábitos como o alcoolismo e ou o tabagismo.

O pneumococo é o responsável por, aproximadamente, 3 milhões de mortes por ano em todo o mundo, sendo, por isso, uma das principais causas de morte preveníveis através de vacinação.

Imprimir