Esclarecer médicos de MGF sobre a utilização de medicamentos opióides

Dia 19 de setembro realiza-se, no Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia (ISLA), em Vila Nova de Gaia, o workshop "Opióides em situações clínicas complexas". Promovida pela Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED), esta ação de formação terá lugar entre as 09h30 e as 17h30, sendo direcionada a todos os profissionais de saúde, em particular aos médicos de Medicina Geral e Familiar.

A iniciativa visa esclarecer e promover o conhecimento técnico sobre as normas e prescrição de fármacos opióides para o tratamento da dor crónica de forte intensidade em situações clínicas complexas como na insuficiência hepática ou renal,  nos doentes alcoólicos, nos dependentes de substâncias ilícitas ou a efetuar terapêutica de substituição, nas doenças psiquiátricas, nas demências ou nas alterações cognitivas, e na dor neuropática. A prescrição de opióides em grupos populacionais específicos como adolescentes, idosos e grávidas é outro dos temas a abordar.

De acordo com Duarte Correia, presidente da APED, “a prescrição de medicamentos opióides em Portugal é reduzida comparativamente ao panorama europeu, e está associada a algum menor conhecimento das boas práticas de prescrição desta classe de medicamentos", acrescentando: “O alívio da dor é um imperativo ético. O seu não tratamento implica custos muito mais elevados para o erário público, que o seu correto e atempado tratamento. Os doentes, incorretamente medicados recorrem com muito maior frequência a consultas médicas nos centros de saúde e hospitais, ao serviço de urgência, apresentam dificuldade ou impossibilidade para a execução das tarefas de vida diária com necessidade de múltiplos e indispensáveis apoios sociais, um maior absentismo ou presencismo laboral, inaptidão ou incapacidade para o trabalho, ´baixas médicas` frequentes ou reformas antecipadas”.

PROGRAMA:

9:30 – Abertura

9:45Doleurs Sans Frontières
Duarte Correia

10:00Uso e escolha do opióide: Todos os opióides são iguais?
Graça Mesquita

10:20Mitos, efeitos secundários: prevenção e controlo
Leonor Amaro

11:40Dor irruptiva: controvérsias no tratamento
João Silva Duarte

11:00 – Intervalo

11:30Dor crónica não oncológica em grupos específicos: adolescentes, grávidas e idosos
Neuza Ferreira

11:50Doentes psiquiátricos e medicação com opióides
Paula Garrido

12:10Prescrição em doentes tolerantes, em situações de dependência ou a efetuar terapêutica
substitutiva (dependência do álcool ou substâncias ilícitas, situações cirúrgicas)
Margarida Barbosa

12:30Opióides em situações complexas e menos frequentes; insuficiência renal crónica; insuficiência
hepática, HIV
Tiago Taleço

12.50 – Almoço

14:30Casos Clínicos
Moderadores: Ana Marcos, Leonor Amaro e Silvia Vaz Serra

16:30Perguntas e Respostas

17:30 – Encerramento

Inscrição:
- 20€
As inscrições podem ser efectuadas através do email: tavaresa@med.up.pt.



APED
A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) tem por objetivos promover o estudo, o ensino e a divulgação dos mecanismos fisiopatológicos, meios de prevenção, diagnóstico e tratamento da dor de acordo com os parâmetros estabelecidos pela International Association for the Study of Pain (IASP). Para mais informações consulte www.aped-dor.com

Imprimir


II Jornadas Multidisciplinares de Medicina Geral e Familiar