Cepheid Talks

Apneia obstrutiva do sono: Jornadas sobre as «múltiplas implicações nas várias especialidades»

Medicina Dentária, Ginecologia e Obstetrícia, Psicologia, Medicina Geral e Familiar. Estas são apenas algumas das muitas especialidades que, no Dia Mundial do Sono, dia 17 de março, vão marcar presença nas jornadas multidisciplinares, organizadas pela Pneumologia do Hospital da Luz Lisboa e dirigidas a profissionais de saúde.

O objetivo da iniciativa, que conta com o patrocínio científico da Sociedade Portuguesa de Pneumologia, é muito claro: "Sensibilizar para as múltiplas implicações e impacto da Apneia Obstrutiva do Sono", explica Sofia Tello Furtado, diretora do Serviço de Pneumologia. Aliás, o evento intitula-se precisamente: "Apneia obstrutiva do sono para além da Pneumologia".

Projeto ambicioso e inclusivo

É habitual o Hospital da Luz organizar iniciativas ao longo do ano com vista a assinalar diversas efemérides. Contudo, desta vez, ao invés de realizar um conjunto de rastreios ou workshops no Dia Mundial do Sono, como tem acontecido, o Serviço de Pneumologia decidiu elevar a fasquia e organizar umas jornadas multidisciplinares, com o contributo e participação de uma dúzia de especialidades.

Em declarações à Just News, Sofia Tello Furtado começa por salientar que "a ideia partiu da pneumologista Monica Grafino. Pareceu-me muito adequada e com pernas para andar e rapidamente desenvolvemos o projeto."

A Comissão organizadora, constituída pelas duas médicas, decidiu então convidar os colegas de outras especialidades, mas não apenas para participar. "Queríamos que fossem eles a  apresentar a sua experiência e perspetivas e tivemos o benefício enorme que foi de contar com a colaboração de todos aqueles a quem solicitámos a intervenção."

A diretora do Serviço de Pneumologia do Hospital da Luz Lisboa destaca ainda o papel do Hospital da Luz Learning Health, "pois é sempre muito positiva em relação às iniciativas propostas" e outro dado relevante:

"Toda a equipa de pneumologia desta unidade e de outras unidades apoiaram a ideia, tanto que vamos ter moderadores, que são pneumologistas, que são das outras unidades. Quisemos envolver a Pneumologia das outras unidades."

Mónica Grafino e Sofia Tello Furtado com Vera Martins, que integra a Comissão Científica e que apoia a Comissão Organizadora

Alterações de comportamento


A Psicologia é uma das especialidades que vai marcar presença na reunião. Questionada sobre a ligação à apneia obstrutiva do sono, Sofia Tello Furtado refere que "tem um papel importante em várias vertentes, desde logo, na fase da prevenção e da deteção precoce de patologia do sono, nomeadamente da possibilidade de haver uma apneia do sono. Ao identificar esses possíveis doentes, encaminham-nos e podemos fazer um diagnóstico precoce".

E acrescenta: "Temos até a vantagem de termos uma psicóloga no Grupo, que trabalha nas Torres de Lisboa, e que se decica especificamente à área da psicologia do sono. E, portanto, é ela que vai ser a nossa palestrante."

Por outro lado, indica que o seu apoio também é relevante "quando há, por exemplo, má higiene do sono e nós precisamos da Psicologia para transmitir ao utente as alterações de comportamento que necessita efetuar, já que a nossa breve abordagem não é suficiente".

Há ainda outras situações em que essa sinergia é importante: "O caso de doentes que têm dificuldade na adaptação ao equipamento, que têm até alguma sensação de rejeição, crises de ansiedade, etc".

Bruxismo e apneia do sono

Relativamente à ligação com a Medicina Dentária, a resposta é imediata: "É super importante também, desde logo, para um diagnóstico precoce." E dá um exemplo concreto:

"Há uma associação importante entre o bruxismo, aquele dito ranger dos dentes, e a apneia do sono. Assim, quando os dentistas detetam que um doente tem bruxismo, tentam perceber como é o seu sono e, quando se justifica, enviar à Pneumologia para fazer o diagnóstico."


Por outro lado, "e muito importante ainda, eles podem instituir uma estratégia terapêutica", indica a médica. Ou seja, "existem doentes que têm indicação para, em vez de dormirem com ventilador, utilizarem um aparelho de avanço mandibular, que é uma forma de tratar a apneia do sono, mais ligeira, é certo, e que é colocada pela Medicina Dentária".



"Temos 9 meses..."

Outra das especialidades que vai marcar presença na reunião é a Ginecologia/Obstetrícia. Apesar de ser uma realidade "pouco frequente", Sofia Tello Furtado sublinha que "a patologia do sono na grávida pode ter consequências importantes (para a grávida e para o bebé)".

E, neste caso, há uma particularidade muito especial: "Temos que ser muito rápidos na intervenção, muito rápidos no diagnóstico, muito rápidos no início da terapêutica, pois temos 9 meses".

Acontece que, "muitas vezes, estes processos de diagnóstico são longos. O tempo de espera para fazer um exame do sono pode ser longo, assim como para ir a uma consulta... e perde-se a janela de oportunidade, de intervenção".

A médica acrescenta que, no caso da Luz Saúde, "a nossa capacidade de resposta é muito rápida. Estabelecemos protocolos de prioridade, conseguimos dar uma resposta a tempo e horas e, acima de tudo, eficaz". E acrescenta: "Temos agora um protocolo com a Obstetrícia neste hospital, temos já doentes grávidas sob ventilação e achamos que era importante tê-los também connosco nestas jornadas."

"O 1.º interface com o doente"

Quanto à Medicina Geral e Familiar, "é óbvia a relação fundamental que existe, no sentido de detetar precocemente estes doentes". Sofia Tello Furtado sublinha que "são eles muitas vezes o primeiro interface com o doente. Têm uma abordagem muito holística, muito completa e é óbvio que o sono tem que ser abordado em quase todas as consultas."

Este contacto próximo com o utente tem uma consequência natural: "Permite muitas vezes saber logo que há aqui uma perturbação do sono, que há eventualidade de uma apneia do sono". Sendo certo que "um doente com hipertensão, com difícil controlo, um doente obeso, que tem diabetes, que tem hipertensão, que tem dislipidemia... poderá estar subjacente outra doença, que é a Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono."

Intervenção do presidente da Sociedade Europeia de Pneumologia 

As jornadas que se realizam dia 17 de março têm ainda a particularidade de contar com a intervenção de Carlos Robalo Cordeiro, presidente da Sociedade Europeia de Pneumologia, na sessão de abertura.

Para Sofia Tello Furtado, não há qualquer dúvida que a sua presença "ajuda a valorizar mais ainda a iniciativa. Ficámos muito contentes quando aceitou o nosso convite, já que se trata de uma pessoa com uma enorme importância na Pneumologia nacional e também europeia, muito justamente".

Faz ainda questão de salientar que "o professor tem sido muito sensível a todas as atividades e continua a querer colaborar sempre muito proativamente com a Pneumologia nacional".

"Todos serão muito bem vindos"

E quem pode participar nestas jornadas? "Todos serão muito bem vindos, sejam da Luz Saúde ou de qualquer outra unidade", responde de imediato Sofia Tello Furtado. E reforça a necessidade de um diálogo abrangente e inclusivo: "Este tema não é exclusivo da Pneumologia, não pode ser. Requer uma intervenção que queremos que seja o mais alargada possível."

Também por esse motivo, explica que foram desenvolvidos esforços para que a inscrição na iniciativa pudesse ser gratuita para todos os colegas.

No total, são doze as especialidades, "todas elas igualmente importantes na deteção precoce e tratamento", que darão a sua perspetiva sobre o impacto da apneia obstrutiva do sono:

- Neurologia
- Medicina Interna
- Anestesia
- Medicina Geral e Familiar
- Psiquiatria
- Medicina do Trabalho
- Cardiologia
- Endocrinologia
- Obstetrícia
- Otorrino
- Medicina Dentária
- Psicologia




O programa pode ser consultado AQUI.


Para mais informações:  learninghealth@up.events 
A inscrição (gratuita) pode ser efetuada aqui.

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda