Apostar na Medicina do Desporto é uma questão de saúde pública

A Medicina Desportiva não existe apenas para atletas federados, mas para todos aqueles que praticam exercício físico. Para João Pereira de Almeida, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Desportiva (SPMD), ter noção desta perspetiva é essencial para levar o desporto saudável a mais pessoas. As declarações surgem na sequência do XII Congresso da SPMD, sobre “Novos Desafios para o Século XXI”, a decorrer no Estoril. 

João Pereira de Almeida destaca, ainda, a importância da multidisciplinaridade, sublinhando que ”a fisioterapia, a psicologia, a nutrição e a fisiologia do exercício físico, entre outras, contribuem para o acompanhamento médico dos desportistas no tratamento de lesões e na prevenção da doença:

No seu entender, a Medicina Desportiva é preventiva e “compete à SPMD divulgar esta ideia, como forma de proporcionar a formação complementar necessária aos médicos e diferentes técnicos que estão ligados a esta área, contribuindo para a melhoria da saúde pública”. 

A presidente do congresso, Maria João Cascais, relembra o crescimento da Medicina Desportiva nos últimos anos. “Quer a nível europeu como mundial, ultrapassou-se há muito o (apenas) conceito de tratamento de lesões desportivas.” E destaca ainda a importância da investigação que, nos últimos anos, tem sido “extraordinária, permitindo melhorar as diferentes técnicas médicas de avaliação e tratamento de desportistas, além de preconizar o aumento de medidas para uma vida mais saudável das populações”.

Os dois responsáveis da SPMD juntaram-se na sessão de abertura do congresso a André Debruyne, presidente da European Federation of Sports Medicine Associations (EFSMA). O representante europeu apontou como principais objetivos para o século XXI “considerar-se a Medicina Desportiva como especialidade em todos os países europeus, otimizar a partilha de conhecimentos, incluir a Medicina Desportiva em todos os curricula das faculdades e difundir a importância do exercício físico para toda a população”.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, Miguel Pinto Luz, também esteve presente na sessão de abertura e sublinhou a aposta que o município tem feito na implementação de medidas que “proporcionam à população do concelho e, não só, a prática de desporto”. 


Podem ser consultadas mais fotos do Congresso aqui.

Imprimir